HOME

NOTÍCIAS

Rússia diz que está pronta para acabar com laços com a União Europeia‎

Rússia diz que está pronta para acabar com laços com a União Europeia‎

Divulgação

A Rússia disse que está pronta para cortar laços com a União Europeia, de acordo com um fragmento de uma entrevista publicada no site do Ministério das Relações Exteriores da Rússia na manhã de sexta-feira. Os comentários marcam mais uma escalada nas tensões entre os dois lados. Quando perguntado se a Rússia estava a caminho de uma ruptura com a União Europeia, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse: "Nós procebíamos do fato de que estamos prontos (para isso). Caso voltemos a ver sanções impostas em alguns setores que criam riscos para nossa economia, inclusive nas esferas mais sensíveis", de acordo com uma tradução dos comentários da Reuters. "Não queremos nos isolar da vida global, mas temos que estar prontos para isso. Se você quer paz, então prepare-se para a guerra", acrescentou Lavrov. Nem o Ministério das Relações Exteriores da Rússia nem a Comissão Europeia, o braço executivo da UE, estavam imediatamente disponíveis para comentar quando contatados pela CNBC na sexta-feira. A relação entre a Rússia e a UE atingiu um novo patamar na semana passada, quando o chefe de política externa da UE, Josep Borrell, visitou seu homólogo em Moscou. Desde então, foi descrita como uma viagem "humilhante" por analistas. Borrell foi expressar a oposição da UE à prisão de Alexei Navalny, um feroz crítico do presidente russo Vladimir Putin. No entanto, ele acusou a Rússia de organizar "uma conferência de imprensa agressivamente encenada" durante sua viagem. Em declarações à imprensa, Lavrov disse que, "a UE não é um parceiro confiável, pelo menos na fase atual". Borrell não se pronunciou sobre esse comentário, o que provocou raiva entre alguns legisladores europeus. Além disso, Borrell soube via Twitter durante uma reunião com Lavrov que a Rússia havia expulsado três diplomatas da UE por participarem de manifestações em apoio a Navalny. "Uma conferência de imprensa agressivamente encenada e a expulsão de três diplomatas da UE durante minha visita indicam que as autoridades russas não queriam aproveitar essa oportunidade para ter um diálogo mais construtivo com a UE", disse Borrell em um post no blog dois dias após sua viagem. Como resultado, ele sugeriu que a UE deveria impor novas sanções à Rússia — uma decisão que precisa ser aprovada pelos governos europeus. Não seria a primeira vez que empresas e indivíduos russos são sancionados pela UE. Sua relação deteriorou-se significativamente desde a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014, mas, em última análise, seus laços são extremamente importantes para ambos, dado seus interesses econômicos, energéticos e estratégicos compartilhados. Analistas disseram à CNBC que as últimas diferenças entre Moscou e a Rússia poderiam pressionar o gasoduto que está sendo construído da Rússia para a Alemanha, o Nord Stream 2. O projeto foi duramente criticado, inclusive pelos Estados Unidos, que impuseram sanções às empresas que trabalham no oleoduto — uma postura que o novo presidente dos EUA Joe Biden não mostrou nenhuma indicação de mudança. Publicado pelo canal CNBC

Redação