HOME

NOTÍCIAS

Boeing prevê mercado aeronáutico resiliente para a América Latina e Caribe

Boeing prevê mercado aeronáutico resiliente para a América Latina e Caribe

Divulgação

A Boeing projetou uma demanda de 2.610 novas aeronaves na região da América Latina e Caribe ao longo das próximas duas décadas. A previsão reflete o impacto de curto-prazo da pandemia da COVID-19, assim como os fundamentos de longo prazo para viagens aéreas. Modelos comerciais com apenas corredor central representarão 90% dessa demanda por aviões, o que reflete a expansão de oportunidades acessíveis de viagem por toda a região. Esse mercado de 20 anos para aeronaves comerciais está estimado em US$ 365 bilhões, de acordo com a análise Commercial Market Outlook 2020 (CMO) da Boeing, uma previsão anual da demanda por aviões e serviços comerciais, além da visão da companhia sobre as dinâmicas do mercado no curto, médio e longo prazo. "Apesar da indústria de aviação em toda a América Latina e Caribe ter sofrido consideravelmente durante a pandemia, os impulsionadores fundamentais ao crescimento na região permanecem robustos", afirma Ricardo Cavero, vice-presidente de vendas para a América Latina e Caribe. "Sobretudo a América do Sul tem um potencial mercadológico considerável a ser desbravado para aumentar as viagens aéreas, devido à expansão econômica e uma vasta área geográfica melhor atendida." Até 2039, o crescimento do tráfego de passageiros em toda a região está projetado em 5,1% por ano, com crescimento anual da frota de aviões em 3,5% na medida em que a companhias aéreas melhoram a utilização da frota e gerenciam fatores de carga mais elevados. A Boeing projeta que o número de pessoas viajando dentro da América do Sul irá ultrapassar o fluxo de tráfego entre a América Central e do Norte durante o período da previsão. Durante o período da previsão de 20 anos, a análise CMO da Boeing para a América Latina inclui: • Crescimento do tráfego anual de passageiros (RPK) de 5,1%. • Demanda por mais de 2.360 aviões novos de corredor central único estimado em US$ 290 bilhões. As aeronaves de corredor único, como as da família 737, continuarão a ser o principal impulsionador do crescimento de capacidade nesta região. • Demanda por 220 aviões de passageiros de fuselagem larga e 20 cargueiros largos de finalidade específica, representando um valor total de entrega de US$ 75 bilhões. • Uma redução de 12% na demanda projetada de aeronaves em relação à previsão divulgada no ano anterior, uma revisão resultante dos impactos da pandemia da COVID-19 • Serviços Comerciais Pós-Vendas estimados em US$ 480 bilhões, incluindo: modificações em aviões cargueiros convertidos da Boeing, peças e serviços da cadeia de suprimentos e soluções digitais com base em análises capazes de suportar operações de voo e manutenção. • Demanda por 117.000 pilotos comerciais, tripulação em voo, e técnicos em aviação para voar e manter a frota de aviões. Globalmente, a Boeing projeta a necessidade de 43.100 novos aviões comerciais e uma demanda por serviços pós-vendas equivalente a US$ 9 trilhões nas próximas duas décadas. Estima-se que o tráfego de cargas aéreas cresça 4% ao longo de 20 anos, devido à expectativa de uma produção industrial sólida e ao comércio internacional. Os cargueiros continuarão sendo a espinha dorsal da indústria de carga, gerando a demanda por 930 cargueiros novos e 1.500 convertidos neste período.

assessoria de imprensa Boeing