Credítos: Imagem divulgação
NoCarbon, o primeiro leite fresco orgânico e carbono neutro do mercado brasileiro
A Guaraci Agropastoril, dos sócios Luis Fernando Laranja da Fonseca, Osvaldo Stella Martins, Henrique de Azevedo Ferreira França e Valmir Gabriel Ortega, lança no mercado nacional a marca NoCarbon, o primeiro leite orgânico e carbono neutro produzido no Brasil. O empreendimento é uma parceria com a Fazenda da Toca, localizada no município de Itirapina, a 200 quilômetros da Capital de São Paulo, e um dos núcleos de produtos orgânicos mais importantes do país. Mais do que uma marca de leite, o NoCarbon nasce da consciência de que é preciso adotar práticas mais sustentáveis, bem como promover o consumo de produtos saudáveis, e insere-se num movimento que defende uma forma inovadora de produzir alimentos. Numa perspectiva mais ampla, a marca se alinha ao conceito contemporâneo de que a missão de uma companhia não é apenas gerar lucro para seus acionistas; ela tem que proporcionar impactos sociais e ambientais positivos para a sociedade local e global. Assim, além de ser um produto 100% orgânico - que não usa agrotóxicos como herbicidas, inseticidas e fungicidas no solo, nem promotores de crescimento ou hormônios no rebanho, e de defender o bem-estar animal- o NoCarbon oferece ao consumidor a neutralidade no balanço de emissões de carbono. A garantia da neutralidade do carbono é feita por meio da acreditação do selo Carbon Free, da ONG Iniciativa Verde, pioneira na certificação de projetos que visam a redução do gás estufa e que atua há mais de 15 anos no segmento. Para obter a certificação, a Guaraci submeteu-se a um inventário completo das emissões de todas as fases de produção - desde o metabolismo das vacas, atividades ligadas à produção do leite, até logística, embalagem etc.- e faz a compensação voluntária de carbono por meio do plantio de árvores nativas na própria Fazenda da Toca, que se encontra nos biomas da Mata Atlântica e do Cerrado. Além da compensação das emissões de gases de efeito estufa, a Guaraci é certificada pelo IBD, maior certificador da América Latina de produtos orgânicos. Possui também o selo da Certified Humane Brasil, representante da Humane Farm Animal Care (HFAC), principal organização global voltada à melhoria na qualidade de vida das criações de animais na produção de alimentos. O selo garante que a Guaraci atende exigências objetivas de bem-estar animal, que incluem uma alimentação nutritiva e equilibrada e livre de antibióticos, provisão de abrigos e áreas de repouso adequados para que os animais expressem seu comportamento natural. Mais do que leite, um ato de cidadania O leite NoCarbon visa um consumidor atento, preocupado com a saúde e com o meio ambiente, e que sabe que suas escolhas alimentares podem ser, para além de um ato de consumo, um ato de cidadania. Engenheiro mecânico especialista em energia e recursos naturais, Osvaldo Stella explica a proposta do NoCarbon. "Estamos focados no consumidor que, além de pensar nos benefícios que os alimentos orgânicos proporcionam para a saúde, também se preocupa com o futuro do planeta e com o bem-estar animal", diz Stella. Lançado no início de julho, o NoCarbon já pode ser encontrado em 65 pontos de vendas. O leite orgânico está presente, por exemplo, nas gôndolas do supermercado Santa Luzia e no St. Marche. Em paralelo, a Guaraci está em negociações adiantadas para a disponibilização do NoCarbon em duas grandes redes de supermercados, o que resulta, num primeiro momento, no acréscimo de 100 novas lojas nos principais centros urbanos do país, até o fim deste ano. Entre eles, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Belo Horizonte e Brasília. Idealizador do projeto NoCarbon, Luis Laranja da Fonseca é um dos pioneiros no desenvolvimento de modelos de negócios de impacto socioambientais no Brasil. Formado em medicina veterinária pela UFRGS, com mestrado em agronomia pela ESALQ/Piracicaba e doutorado em medicina veterinária pela USP, ele conta que o NoCarbon vem aprimorando um modelo inovador de produção que alia eficiência, qualidade e um modo harmônico e mais equilibrado com a natureza. "Esse é o grande dilema da sociedade moderna. Cerca de um terço das emissões de gás estufa no mundo são provenientes da agropecuária e, se queremos garantir um futuro mais saudável, teremos que repensar o atual sistema de produção alimentar. O nosso projeto tem como meta criar um modelo mais regenerativo; produzir proteína animal sem degradar o ecossistema", enfatiza Laranja da Fonseca. O projeto teve início em março de 2018, numa área de 132 hectares de pastos orgânicos. No momento, são 440 vacas de leite das raças Gir, Jersey, Holandesa, dentre outras, das quais 200 são animais adultos que produzem cerca de 4 mil litros de leite/dia. O rebanho é criado em sistema agrossilvopastoril, que integra pecuária, árvores, agricultura e pastagem. A produção de leite acontece em um modelo misto que inclui pastejo rotacionado, alimento verde no cocho e suplementação de silagem no inverno, que gera inúmeros benefícios tanto para o meio ambiente quanto para os animais. Por meio do sistema, o gado desfruta de mais sombra natural e um ambiente fresco, com arborização mais densa, além de ganhar um reforço nutricional. Além disso, o meio ambiente como um todo se favorece com mais biodiversidade e o estímulo à uma série de serviços ecossistêmicos, como a polinização pelas abelhas e a ciclagem de nutrientes com mais árvores, além do sequestro de carbono. "A nossa empresa não tem sentido de existir se ela não proporcionar ações propositivas que tragam benefícios para a sociedade e para o planeta. Essa é a nossa lógica", assinala o advogado Henrique França, que atuou por mais de 35 anos no mundo corporativo, foi sócio de grandes escritórios de advocacia em São Paulo e Nova Iorque, além de trabalhar como gerente jurídico dos bancos JPMorgan Chase Bank, Itaú BBA e Microsoft. França acrescenta que esse conceito não se contrapõe ao lucro. "Pelo contrário, o retorno do investimento e o lucro são fundamentais para a perpetuação da empresa", ressalta. Para que o crescimento sustentado de vendas do NoCarbon no varejo seja possível, a Guaraci tem o desafio de ampliar o volume de leite. Laranja assegura que essa meta é viável por meio da seleção criteriosa que estão fazendo em outras fazendas produtoras de leite orgânico e com programas de neutralidade de carbono no Estado de São Paulo. Com esta ação, a Guaraci dobraria sua capacidade produtiva, que contaria com aproximadamente 10 mil litros de leite/dia. Além do recém-lançado NoCarbon, disponível nas versões integral e desnatado, a Guaraci deve disponibilizar nas próximas semanas o NoCarbon Milk Zero Lactose semidesnatado. E as novidades não param por aí, a marca prevê outros lançamentos até o fim do ano, ampliando sua oferta atual de produtos. Sobre a Guaraci Agropastoril A Guaraci Agropastoril Ltda. é uma empresa agroindustrial, sediada em Itirapina-SP, fundada em 2018, que produz e processa leite orgânico, desenvolve modelos inovadores de produção e se sustenta sobre três pilares, representados pelas certificações de produto orgânico, carbono neutro e bem-estar animal.
Fonte: Assessoria de Imprensa