Credítos: pressfoto
67% das maiores empresas do Brasil não tem sucessor pronto para o cargo de CFO
Pesquisa inédita realizada pela Assetz - consultoria especializada em recrutamento e seleção de posições de liderança em Finanças -, em parceria com o Insper, traçou o perfil do CFO (Chief Financial Officer, ou Diretor Financeiro em tradução livre) das maiores empresas do país. O estudo mostra que 45% desses profissionais acreditam que seu legado está sendo construído por meio de boa liderança e participação ativa no aumento dos resultados para as empresas nas quais atuam, apesar de apenas 1⁄3 dos respondentes ter um sucessor preparado para o cargo. Para este estudo, foram ouvidos 128 CFOs das maiores empresas do Brasil, apresentando suas visões e expectativas para o futuro do cargo mais alto da área de Finanças no país. Ter uma equipe engajada, que cumpra as atribuições do dia a dia da área financeira de forma eficiente, é extremamente relevante para um bom líder. Para ele, as maiores preocupações relacionadas ao futuro, no que diz respeito a “pessoas”, são o amadurecimento e a “seniorização” da equipe (36%), o treinamento e desenvolvimento de habilidades comportamentais (33%), e a adaptação à gestão virtual e à distância (32%). “A maioria dos participantes sinaliza que precisa seniorizar sua equipe, deixando-a mais experiente e madura. Isso vai de encontro com uma das questões centrais levantadas pela pesquisa de que a maioria dos CFOs não possui um sucessor interno em vista e precisa dedicar cerca de 18% do seu tempo ao desenvolvimento de um potencial sucessor”, conta Guilherme Malfi, sócio fundador da Assetz. Também foi perguntado aos Executivos quais são as competências técnicas e comportamentais que eles acreditam que os profissionais vão precisar desempenhar com maestria nos próximos anos. As habilidades comportamentais mais assinaladas na pesquisa foram: Adaptação à Mudanças (67%), Cultivo de um Ambiente de Alta Performance (29%) e Comunicação Efetiva (28%). Já na parte técnica, Planejamento Estratégico (51%), Gestão de Riscos (45%) e Tesouraria Estratégica (36%) serão as disciplinas financeiras mais exigidas. “O Brasil passa por um momento de muitas incertezas, o que exige um olhar mais cauteloso no que tange à gestão de riscos e ao próprio fluxo de caixa por parte da companhia. Ademais, a área de Finanças está cada vez mais próxima ao negócio, dando suporte às demais áreas internas no processo de tomada de decisão estratégica”, comenta Felipe Brunieri, sócio fundador da Assetz. Entre as perguntas de cunho organizacional sobre o futuro, os CFOs responderam a uma das perguntas clássicas feitas em processos seletivos: “Onde você se vê em cinco anos?”. A maioria deles, 66%, se vêem como CEO, enquanto 63% acreditam que ainda estarão atuando como CFO, e 34% apostam mais alto, respondendo que estarão ocupando um lugar como Conselheiro nesse período. Sobre a Assetz A Assetz é a única consultoria de recrutamento e seleção especializada, exclusivamente, em posições de liderança na área de Finanças. A empresa é referência em seleção e contratação de Executivos financeiros para companhias de todos os portes e setores da economia, além de buscar compartilhar conteúdo digital relevante sobre o tema “carreira em Finanças”. Com isso, por meio da combinação entre um processo de recrutamento diferenciado e a produção de materiais significativos e especializados, a Assetz contribui para o desenvolvimento do mercado de trabalho brasileiro. A empresa, por sua vez, recruta para várias disciplinas financeiras, entre elas: Auditoria Externa; Auditoria Interna; Business Support; Compliance; Contabilidade; Contas a pagar; Contas a receber; Controladoria; Controles Internos; Crédito e Cobrança; Custos; Finance Transformation; Fusões e Aquisições; Mercado de Capitais; Novos Negócios; Planejamento Estratégico; Planejamento Financeiro; Precificação; Project Finance; Projetos e Iniciativas Estratégicas; Relações com Investidores; Reporting; Riscos Financeiros; Riscos Operacionais e Tesouraria.
Fonte: Assessoria de Imprensa