Credítos: macrovetor
3 dicas para fugir dos altos preços da gasolina priorizando o transporte público na cidades.
Especialista da Quicko, app de mobilidade urbana, aponta maneiras de como se deslocar nos centros urbanos de forma mais sustentável, eficiente e com baixo custo De acordo com a edição de 2019 da pesquisa TIC Domicílios divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), 74% dos brasileiros estão conectados à internet e 99% desses acessam pelo smartphone. Já a Pesquisa Origem e Destino do Metrô de São Paulo de 2017 indicou que os aplicativos mais utilizados pelos consumidores são os multimodais, ou seja, que indicam mais de um tipo de mobilidade na cidade. Além disso, esses usuários têm feito 7 vezes mais viagens por transporte coletivo do que com motoristas de automóvel particular. A partir disso, a Quicko, startup brasileira de mobilidade urbana, acredita que o espaço público deve ser adequado para as pessoas, apostando em economia compartilhada e intermodalidade sustentável, ou seja, na integração das diversas formas de transporte nas cidades. Especialmente no segundo semestre de 2021, com a volta das atividades presenciais, a tendência é um considerável aumento no fluxo de passageiros no transporte público dentro dos centros urbanos. Os carros representam hoje cerca de 70% da poluição presente nas cidades, o uso de transporte coletivo e modais ativos como bikes e caminhadas possuem vantagens para o bolso e para a qualidade do ar das cidades, além disso, incentivar a mobilidade ativa é incentivar as pessoas a incluírem uma atividade física no seu dia a a dia e também um modo de conhecerem os espaços urbanos. Para Luisa Peixoto, especialista em Políticas Públicas da Quicko, aplicativo de mobilidade urbana que reúne os melhores recursos para o que as pessoas possam se deslocar com mais conveniência e inteligência pela cidade, um dos principais problemas enfrentados é que a população está voltando a um ritmo pré-pandemia e o ecossistema de mobilidade tem tentado se adaptar à retomada da demanda pelo transporte. "Nós da Quicko, temos desenvolvido funcionalidades que podem auxiliar as pessoas no dia a dia, como o aviso de lotação e as melhores rotas para que a pessoa chegue no horário sem pegar o pico", explica. Luísa Peixoto, especialista da Quicko | Créditos: Divulgação Quicko A especialista elencou 3 dicas para auxiliar na vida de quem quer optar por uma mobilidade mais sustentável e coletiva: • Priorização do transporte público e meios de transporte ativos: O cenário parece desafiador, mas a falácia de que nossas vidas dependem dos carros precisa ser quebrada no imaginário da população. Com menos carros nas ruas, as pessoas podem circular livres, os comércios locais são mais visitados, as pessoas interagem mais, além de contribuir para a redução da emissão de CO². O ideal é começar fazendo os pequenos trajetos a pé ou de bicicleta, com o transporte coletivo. • Aposta em intermodais: A integração em modais pode ser feita para economizar dinheiro nas baldeações e, além disso, é possível otimizar tempo. A intermodalidade traz alguns benefícios como a integração do ecossistema, mesmo que você não tenha fácil acesso ao sistema de transporte, tente combinar os modais porque assim você reduz as distâncias de carro. • Utilização de apps de transporte público: Planejar o deslocamento é muito importante, no Quicko App, é possível ver diferentes rotas para o mesmo trajeto. Além do tempo levado em cada um deles, o horário do ônibus, trem e metrô, aumentando as nossas opções de modais sem perder a previsibilidade no caminho. Com o recurso de favoritar linhas, os usuários também recebem alertas sobre a situação daquele modal. Além dos avisos de lotação, onde os usuários podem compartilhar e checar o fluxo de pessoas naquela rota. Assim, sempre antes de sair de casa, é possível checar como está a situação das linhas utilizadas e programar um percurso melhor. Sobre a Quicko Criada em setembro de 2018, quando recebeu um aporte inicial de US﹩10 milhões, a Quicko lançou o seu aplicativo no mercado em novembro de 2019. A startup nasceu da parceria entre o Grupo CCR e a J2L para desenvolver uma plataforma Mobility as a Service (MaaS), ou Mobilidade como Serviço, focada na experiência dos usuários do transporte público. A plataforma da Quicko reúne no mesmo app tudo o que as pessoas precisam para se deslocar com mais conveniência e inteligência pela cidade. Entre as funcionalidades do aplicativo estão: recargas de cartões do transporte e celular pré-pago, informações em tempo real sobre o horário de chegada dos ônibus, sugestões de rotas e localização de estações de compartilhamento de bicicleta. Além disso, o passageiro também pode escolher sua linha de ônibus e monitorar o seu trajeto, reportando ainda ocorrências no transporte, além de compartilhar as suas rotas. No início de 2021, a empresa recebeu uma rodada Series B de R﹩100 milhões. Hoje, a empresa possui mais de 80 colaboradores e atua em nove cidades do Brasil, disponibilizando o app em São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte, Fortaleza, Natal e Salvador. O time de liderança é formado por Pedro Somma (CEO), Carolina Badaró (COO), Felipe Cuconati (CFO) e Uriel Jaroslaswki (CTO/CPO).