HOME

NOTÍCIAS

United Airlines chega a um acordo provisório para evitar licenças

United Airlines chega a um acordo provisório para evitar licenças

Imagem de kikkuru0606 por Pixabay

A United Airlines e o sindicato que representa os 13.000 pilotos da transportadora chegaram a um acordo provisório para evitar licenças de cerca de 3.000 aviadores. A pandemia de coronavírus diminuiu a demanda por viagens. A United disse no mês passado que planeja dispensar ou demitir cerca de 16.000 funcionários , incluindo 2.850 pilotos, a partir de 1º de outubro, quando os termos do auxílio federal que proibia cortes de empregos irão expirar. “Qualquer atenuação em potencial deve atingir nossos objetivos: interromper as folgas planejadas, interromper os deslocamentos e incluir ganhos permanentes de longo prazo para quaisquer modificações totalmente recuperáveis de curto prazo”, disse Todd Insler, presidente da United Airlines da Air Line Pilots Association , aos membros do sindicato em uma nota na terça-feira (8), que foi revisada pela CNBC. O sindicato e a companhia aérea não forneceram detalhes do acordo e como ele reduziria os custos. Não ficou claro por quanto tempo, se aprovado, o plano evitaria licenças. O acordo precisa ser aprovado pelos membros e líderes sindicais. A companhia aérea disse em um comunicado que continua “a tentar reduzir o número de licenças involuntárias na United e está feliz por ter chegado a um acordo provisório com a ALPA que pode potencialmente salvar o emprego dos pilotos”. A Delta Air Lines disse no mês passado que planeja dispensar mais de 1.900 de seus pilotos se não chegar a um acordo com seu sindicato. A empresa aérea com sede em Atlanta, no início do verão americano, propôs cortar o salário mínimo garantido dos pilotos em 15% para evitar licenças por um ano. Southwest Airlines , Spirit Airlines e JetBlue Airways também chegaram a acordos com os sindicatos de seus pilotos para evitar licenças. Todas as principais companhias aéreas dos Estados Unidos também ofereceram pacotes de aposentadoria antecipada e outros para reduzir a necessidade de cortes involuntários quando o auxílio federal expirar. Enquanto isso, os sindicatos das companhias aéreas estão pedindo aos legisladores que aprove outros US $ 25 bilhões em ajuda que preservaria empregos até o final de março.

Traduzido CNBC