HOME

NOTÍCIAS

Airbus anuncia projetos de conceito para aviões movidos a hidrogênio com emissão zero

Airbus anuncia projetos de conceito para aviões movidos a hidrogênio com emissão zero

Airbus

A gigante aeroespacial europeia Airbus divulgou detalhes de três aviões-conceito movidos a hidrogênio nesta segunda-feira(21), dizendo que eles poderiam entrar em serviço no ano de 2035. Os projetos, chamados ZEROe, diferem em tamanho e estilo, mas são todos concebidos para ter emissão zero, usando hidrogênio como sua principal fonte de energia. Eles incluem uma aeronave que usaria motores turbofan e transportaria entre 120 e 200 passageiros. Com um alcance de mais de 2.000 milhas náuticas, seria movido usando o que a empresa descreveu como “um motor de turbina a gás modificado funcionando com hidrogênio, em vez de combustível de jato, por meio de combustão” De acordo com os projetos, o hidrogênio líquido seria armazenado atrás da antepara de pressão traseira, na parte de trás do avião. Outro projeto, usando motores turboélice, também seria movido por motores de turbina a gás modificados, com um alcance de mais de 1.000 milhas náuticas, mas transportaria menos passageiros. Um terceiro projeto oferece uma visão radical de como os aviões poderiam ser nos próximos anos. Transportando até 200 passageiros, o conceito de “corpo de asas combinadas” veria as asas “se fundindo” com o corpo principal da aeronave. “Acredito fortemente que o uso de hidrogênio - tanto em combustíveis sintéticos quanto como fonte de energia primária para aeronaves comerciais - tem o potencial de reduzir significativamente o impacto climático da aviação”, disse o CEO da Airbus, Guillaume Faury, em um comunicado. “Esses conceitos nos ajudarão a explorar e amadurecer o projeto e o layout da primeira aeronave comercial do mundo neutra para o clima e com emissão zero, que pretendemos colocar em serviço até 2035.” Potencial de hidrogênio Embora a adoção generalizada da energia do hidrogênio em aeronaves ainda esteja um pouco distante, as formas de transporte terrestre já estão usando a tecnologia, embora em pequena escala. Os ônibus a hidrogênio foram introduzidos na capital do Reino Unido, Londres, por exemplo. Em outro lugar, a empresa europeia Alstom desenvolveu o Coradia iLint, um trem que aproveita a tecnologia de células de combustível para transformar oxigênio e hidrogênio em eletricidade. Segundo a empresa, pode atingir velocidades de até 140 quilômetros por hora (87 milhas por hora), é silencioso e “emite apenas vapor e água”. Na aviação, uma série de aviões de baixa e zero emissão voaram para os céus nos últimos anos. Em junho, um avião elétrico a bateria sobrevoou a Inglaterra em uma viagem descrita como o “primeiro vôo elétrico em escala comercial” do Reino Unido. Enquanto isso, em maio, uma aeronave Cessna 208B Grand Caravan com um motor totalmente elétrico de 750 cavalos de força completou seu vôo inaugural , após decolar de um aeroporto em Moses Lake, Washington. Outros exemplos de aviões inovadores incluem o Solar Impulse 2, uma aeronave tripulada movida a energia solar. Em 2016 conseguiu circunavegar o globo sem usar combustível , embora a viagem tenha sido feita em 17 trechos separados.

Traduzido CNBC