HOME

NOTÍCIAS

McLaren: tecnologia de veículos elétricos ainda não funciona para supercarros

McLaren: tecnologia de veículos elétricos ainda não funciona para supercarros

Chris J. Ratcliffe | Bloomberg | Getty Images

O presidente-executivo da McLaren Automotive disse na terça-feira que a tecnologia do veículo elétrico (EV) ainda não está pronta para supercarros, mas pode ser gradualmente implementada nos próximos 10 anos. “Achamos que vamos mudar para EV completo, digamos, na segunda metade desta década”, disse Mike Flewitt à CNBC no lançamento do novo McLaren 765LT. “Full EV, embora possa funcionar bem com carros de passageiros e em alguns dos segmentos automotivos, não funciona realmente no segmento de supercarros.” Flewitt disse estar ciente de que algumas pessoas esperam que as montadoras tornem seus veículos totalmente elétricos como parte da chamada “recuperação verde” após a pandemia do coronavírus. Mas isso pode não ser tão fácil quanto parece. “Temos que olhar um pouco para o outro lado da equação também e uma das realidades para o negócio automotivo é que essa mudança é extraordinariamente cara”, disse Flewitt. “Acabamos de passar por um período em que todos os fabricantes tiveram impactos muito graves em sua posição financeira. Portanto, sua capacidade de se movimentar em um ritmo mais rápido ficará comprometida de alguma forma. ” No momento, Flewitt disse que a McLaren está avançando com a tecnologia de veículos híbridos, acrescentando que a empresa a vê como o próximo passo lógico. “A hibridização oferece uma solução muito boa”, disse ele. “Reduzimos nossas emissões de CO2 de maneira muito significativa.” Mas um trem de força EV ainda não pode oferecer a mesma experiência que um motor de combustão interna, de acordo com Flewitt. “Nós mantemos um motor de combustão interna em combinação com o sistema elétrico para fornecer a experiência de direção que o carro tem a oferecer”, disse ele. Antes de mudar para EV completo, Flewitt disse que a McLaren precisa saber que tem a demanda dos clientes, a infraestrutura para suportá-la e a tecnologia para habilitá-la.

Redação