Credítos: Reprodução/ Twitter Airbus
Airbus publica seus resultados do primeiro semestre (1S) de 2021
Airbus SE (símbolo: AIR) apresentou seus resultados financeiros consolidados para o primeiro semestre (1S) encerrado em 30 de junho de 2021. "Os resultados do primeiro semestre refletem nossas entregas de aeronaves comerciais, nossos esforços para conter custos e melhorar a competitividade e o bom desempenho de Helicópteros e Defesa e Espaço. Apesar da persistência da pandemia covid-19, todas as medidas tomadas pelas equipes permitiram-nos obter um bom resultado no primeiro semestre do ano. Essa situação nos permite revisar em alta as nossas projeções para 2021, embora continuemos enfrentando um ambiente de difícil prognóstico", disse Guillaume Faury, CEO da Airbus. "Agora, estamos focados em aumentar a produção da família A320 e transformar a estrutura industrial. Além disso, e após aprovação do Conselho de Administração e em resposta às sugestões dos clientes, vamos reforçar a nossa linha de produtos com uma aeronave de transporte derivada do A350 que vai aumentar a concorrência e a eficiência neste segmento de mercado." Os pedidos brutos de aeronaves comerciais totalizaram 165 (H1 2020: 365 aeronaves) e os pedidos líquidos foram de 38 aeronaves após cancelamentos (H1 2020: 298 aeronaves). A carteira de pedidos atingiu 6.925 aeronaves comerciais em 30 de junho de 2021. A Airbus Helicopters registrou 123 pedidos líquidos (H1 2020: 75 unidades), incluindo 10 helicópteros da família Super Puma. Na Airbus Defense and Space, os pedidos recebidos alcançaram 3.500 milhões de euros (1S 2020: 5.600 milhões de euros). As receitas consolidadas aumentaram 30% em relação ao ano anterior para € 24,6 bilhões (H1 2020: € 18,9 bilhões), refletindo principalmente um maior número de entregas de aeronaves comerciais em comparação com o primeiro semestre de 2020. Um total de 297 aeronaves comerciais foram entregues (H1 2020: 196 aeronaves) compreendendo 21 aeronaves A220, 237 aeronaves da família A320, 7 aeronaves A330, 30 aeronaves A350 e 2 aeronaves A380. A receita gerada pelas atividades de aeronaves comerciais da Airbus aumentou 42%, refletindo principalmente o aumento nas entregas. A Airbus Helicopters entregou 115 unidades (H1 2020: 104 unidades) e as receitas aumentaram 11%, refletindo o crescimento em serviços e o maior volume de helicópteros civis. Durante o primeiro semestre do ano, as receitas da Airbus Defense and Space ficaram praticamente estáveis em comparação com o ano anterior e duas aeronaves de transporte militar A400M foram entregues. O EBIT consolidado ajustado - uma medida de desempenho alternativa e indicador chave que registra a margem subjacente do negócio, excluindo despesas ou benefícios decorrentes de movimentos em provisões relacionadas a programas, reestruturação ou efeitos cambiais, bem como ganhos/perdas de capital resultantes da venda e aquisição de empresas - se situou em 2.703 milhões de euros (1S 2020: -945 milhões de euros). O EBIT ajustado relacionado às atividades de aeronaves comerciais da Airbus totalizou € 2.291 milhões (H1 2020: € -1.307 milhões), principalmente devido ao desempenho de entrega e ao esforço para conter custos e melhorar a competitividade. O EBIT ajustado da Airbus Helicopters aumentou para € 183 milhões (H1 2020: € 152 milhões), impulsionado por serviços, execução de programas e menores gastos com Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). O EBIT ajustado da Airbus Defense and Space aumentou para € 229 milhões (H1 2020: € 186 milhões), refletindo principalmente a retenção de custos e a melhoria da competitividade da divisão, bem como um aumento no volume de Sistemas da Space. As despesas consolidadas de P&D autofinanciadas totalizaram 1.262 milhões de euros (1º semestre de 2020: 1.396 milhões de euros). O EBIT consolidado (declarado) foi de 2.727 milhões de euros (1S 2020: -1.559 milhões de euros), incluindo ajustamentos líquidos de +24 milhões de euros. Esses ajustes incluíram: • +145 milhões de euros relativos ao programa A380, dos quais +174 milhões de euros no segundo trimestre; • -170 milhões de euros relativos ao descasamento de pagamentos antes da entrega em dólares e à reavaliação de balanço, dos quais +7 milhões de euros corresponderam ao segundo trimestre; • +49 milhões de euros de outros ajustamentos, como gastos de compliance, dos quais +75 milhões de euros corresponderam ao segundo trimestre. O resultado financeiro foi de -30 milhões de euros (1S 2020: -429 milhões de euros). Reflete principalmente um resultado financeiro líquido de -172 milhões de euros, parcialmente compensado pela evolução do dólar norte-americano, bem como +79 milhões de euros relativos à reavaliação da participação da Dassault Aviation. O lucro líquido consolidado(1) foi de 2.231 milhões de euros (prejuízo líquido no 1S 2020: -1.919 milhões de euros) com um lucro líquido consolidado declarado de 2,84 euros (prejuízo por ação no 1S 2020: -2,45 euros). O fluxo de caixa livre antes de fusões e aquisições e financiamento a clientes melhorou para 2.051 milhões de euros (1º semestre de 2020: -12.440 milhões de euros), em linha com a evolução das receitas. Também incorporou o impacto positivo do escalonamento dos prazos de cobrança e pagamento. O fluxo de caixa livre consolidado foi de 2.012 milhões de euros (1S 2020: -12.876 milhões de euros). A posição de caixa bruta era de 21.400 milhões de euros em 30 de junho de 2021 (final de 2020: 21.400 milhões de euros) após a amortização de um título cambial de 1,1 bilhão de euros e o pré-pagamento de um título de US $ 1 bilhão, aumentando ainda mais os índices de alavancagem para apoiar a forte classificação de crédito da empresa. A posição de caixa líquido consolidada em 30 de junho de 2021 era de 6.500 milhões de euros (posição de dívida líquida no encerramento do exercício de 2020: 4.300 milhões de euros). A situação de liquidez da empresa permanece forte, atingindo € 33,7 bilhões no final de junho de 2021. Perspectivas A empresa assume como base das suas previsões para 2021 que não haverá mais perturbações na economia mundial, no tráfego aéreo, nas operações internas da empresa ou na sua capacidade de entrega de produtos e serviços. As previsões da empresa para 2021 referem-se a números antes de fusões e aquisições. Com base nisso, a empresa atualizou sua previsão para 2021 e agora visa atingir em aproximadamente 2021: • a entrega de 600 aeronaves comerciais; • um EBIT ajustado de 4.000 milhões de euros; • fluxo de caixa livre antes de fusões e aquisições e financiamento ao cliente de € 2 bilhões.
Fonte: assessoria de imprensa Airbus