Credítos: Imagem divulgação
iFood cria hortas urbanas para levar alimentos a diferentes comunidades
O iFood, maior foodtech da América Latina, dá início a diferentes projetos de diversificação alimentar por meio do cultivo de hortas urbanas. A iniciativa busca promover o cultivo de alimentos saudáveis para doação e promoção de mais oportunidades sociais, com produção em escolas e comunidades, a princípio sendo realizadas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Como projeto piloto, duas hortas escolares foram implementadas pelo iFood na Zona Leste de São Paulo, em parceria com a organização Cidades Sem Fome - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), fundada em 2004. Uma delas está na Escola Municipal de Educação Fundamental Achilles de Oliveira Ribeiro, e a outra na Escola Estadual Professor Alfredo Ashcar. Desta forma, cerca de 1.700 crianças têm acesso à merenda mais saudável e orgânica, além de aulas práticas sobre os ciclos de produção das plantas e o benefício de consumi-las. O apoio à agricultura sustentável em áreas urbanas também gera renda e consumo local com a produção excedente. Outra frente importante que vem sendo testada no Rio de Janeiro, é a implementação de uma horta na sede da ONG Ação da Cidadania, ao pé do Morro da Providência. Esta horta fornecerá alimentos para produção de refeições para serem distribuídas à comunidade, e também servirá como "horta-escola" para formar moradores de comunidades em agroecologia e quintais produtivos. "Como empresa de delivery que leva comida para milhões de pessoas em todo o Brasil, entendemos que também é o nosso papel apoiar a população levando alimentos também para quem mais precisa. Os projetos de hortas urbanas vem para complementar as nossas ações de apoio e doações já existentes pelo aplicativo a diferentes entidades de todo o país", explica Gustavo Vitti, vice-presidente de pessoas e sustentabilidade do iFood. Junto com a ONG Orgânico Solidário, desde o ano passado, por doações no aplicativo do iFood, é possível beneficiar famílias em mais de 70 comunidades de quatro estados do Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná. A organização sem fins lucrativos, tem como objetivo levar alimentos frescos e orgânicos como frutas, legumes e verduras para famílias em situação de vulnerabilidade social, envolvendo uma rede de agricultores orgânicos que tem sua produção e renda estimuladas. Desde dezembro de 2020 é possível que os consumidores do iFood doem para essa causa, entre outras cinco organizações relacionadas à alimentação, pela área de doação do aplicativo. Até hoje já foram doados mais de R$ 5 milhões pelos clientes, e outros R$ 7 milhões pelo próprio iFood e empresas parceiras. Horta nas Alturas em Osasco Em parceria com a BeGreen, future tech especializada em fazenda urbanas, o iFood acaba de lançar uma horta nas alturas, em um espaço de 950 m², direcionada ao cultivo de hortaliças, frutos e legumes frescos e livres de agrotóxicos. A fazenda urbana, localizada no sétimo andar da sede do iFood, produzirá cerca de 1.7 toneladas desses alimentos que serão direcionados às mais de 3 mil famílias cadastradas no Banco de Alimentos de Osasco. Nesta semana será realizada a primeira colheita oficial da fazenda, que já está produzindo uma grande variedade de hortaliças e frutos como alface, rúcula, folha de beterraba, tomate, abobrinha e agrião. O modelo de fazenda urbana consiste na prática de cultivo em meio a grandes centros urbanos, próximo as pessoas que irão consumi-los. A estratégia reduz o tempo de transporte dos produtos, diminuindo a emissão de carbono pelos veículos, além de reduzir o desperdício gerado na distribuição. A unidade é a primeira entre as fazendas que contam com um sistema de climatização de alta tecnologia, onde é possível realizar controle remoto da temperatura da estufa, além da praticidade de ser vertical. Outro destaque é o sistema de iluminação artificial das bancadas verticais, projetado e executado em parceria com a AES Tietê e CSEM Brasil (Centro Suiço de Eletrônica e Microtecnologia). Com ele o uso de luz solar pode ser complementada com ativação de leds, ganhando bastante produtividade. Ao operar estufas com tecnologia e inovação, as hortaliças são cultivadas por meio da hidroponia, um sistema onde as raízes se desenvolvem na água, em soluções que recebem os nutrientes naturais necessários para que cresçam saudáveis. Essa técnica, gera economia de até 90% de água em relação ao cultivo tradicional. Um sistema de climatização de alta tecnologia permite o controle remoto da temperatura da estufa e uma produtividade 28 vezes maior que o cultivo convencional. "Utilizamos do nosso espaço para contribuir com soluções inteligentes que possam impactar de forma positiva a vida das pessoas. Mensalmente vamos colher mais de uma tonelada de alimentos que serão doados na região.Trata-se de uma iniciativa pioneira e, para nós, é muito gratificante poder fazer mais essa contribuição para a sociedade", afirma Vitti.
Fonte: Assessoria de Imprensa