HOME

NOTÍCIAS

Fintech Hurst transforma músicas do Paulo Ricardo em oportunidade de investimento

Fintech Hurst transforma músicas do Paulo Ricardo em oportunidade de investimento

facebook Paulo Ricardo

Em uma parceria exclusiva com o roqueiro Paulo Ricardo, a fintech de investimento em ativos reais Hurst Capital, oferece a oportunidade de investir em recebíveis de royalties musicais das obras do cantor e compositor, considerado ícone do rock nacional. Desta forma, sucessos como "Rádio Pirata", "Olhar 43", "A Cruz e a Espada" e "Vida Real", canção conhecida nacionalmente por integrar a vinheta do reality show Big Brother Brasil, podem gerar rendimentos significativos aos investidores sempre que forem tocadas. Para se ter uma ideia, somente "Olhar 43" registra mais de 20 milhões de plays no Spotify. Ao todo, o acordo envolve uma carteira composta por 590 obras e fonogramas com uma rentabilidade estimada de 12,62% ao ano no cenário base (líquido de fees e bruto de impostos) com um múltiplo de aproximadamente 1,48x e prazo de 78 meses. Além da popularidade do artista, que possui 276.741 ouvintes mensais no Spotify e da banda RPM com outros 582.781 fãs na plataforma, a Hurst está oferecendo um incentivo inédito para este tipo de operação. A fintech reduziu para R$ 1 mil o valor do aporte mínimo para aqueles que confirmarem seus investimentos durante as primeiras 24 horas após o início das transações que acontece hoje - 15 de outubro. No mês de julho, a Hurst Capital foi responsável por inaugurar, no Brasil, a possibilidade de investir em ativos de propriedade intelectual, com uma operação de recebíveis de royalties de uma carteira variada com mais de cinco mil músicas. Na ocasião, a operação atraiu centenas de investidores que esgotaram a captação, realizada em modelo de crowdfunding de investimentos, em menos de 24h. Para o CEO da Hurst, Arthur Farache, a operação de recebíveis de royalties das canções de Paulo Ricardo é mais um passo importante para a popularização deste tipo de investimento no país. "É um artista reconhecido como referência em mais um gênero musical muito popular no Brasil. Para a Hurst Capital é uma honra poder levar os royalties de um ídolo do Rock brasileiro do quilate do Paulo Ricardo para os investidores locais, além de representar mais um reconhecimento da seriedade e da assertividade do nosso projeto ", afirma. Os valores de royalties de performance aumentam progressivamente, pois são pagos aos autores e compositores toda vez que a música é tocada em público, incluindo os serviços de streaming. As receitas são geradas também via vendas físicas de CD; execuções públicas como em academias, shows e estações de rádio; licenças de sincronização, necessária para usar a música em comerciais, filmes, novelas e games. "Com a expertise da Hurst consigo gerar fluxo de caixa para alavancar ainda mais a carreira, aumentar os ganhos dos direitos autorais e poder planejar e executar o lançamento do novo CD e da turnê que estrearemos em 2021. Assim ganhamos eu, os fãs e os acionistas. Uma "win-win situation"", afirma o cantor. De acordo com a tese de investimento da fintech, o aumento no consumo de música por serviços de streaming impulsionou a decisão de incluir o produto em sua prateleira de investimentos. O Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (ECAD), que faz a gestão do sistema de proteção e remuneração dos autores/artistas, distribuiu em 2019 um total de R$ 986,5 milhões para 383 mil artistas e outros titulares. Sobre a Hurst A Hurst Capital é líder em Investimentos em Ativos Reais na América Latina, originou mais de R$ 400 milhões para mais de 3.000 investidores de 10 países. Além da oferta de precatórios, atua com direitos creditórios, royalties musicais e operações imobiliárias.

assessoria de imprensa Fintech Hurst