Credítos: pressfoto
Exportações do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos crescem 16.4% em 2021
Apesar de fechar no acumulado do ano com déficit em relação ao ano anterior, setembro superavitário nas exportações mostra a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional. No mês de setembro de 2021, A balança comercial da indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou superávit no valor de US﹩ 8.0 milhões, revertendo o saldo da balança comercial em relação ao mês de setembro de 2020, que foi deficitário em US﹩ 1.7 milhão. As exportações do setor alcançaram o valor de US﹩ 65.3 milhões, o que representou um aumento de 22,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior (US﹩ 57.3 milhões). Entre os produtos mais exportados em setembro, aparecem com destaque os, produtos de higiene oral (US﹩ 7.7 milhões), produtos para cabelos (US﹩ 17.0 milhões) e os sabonetes (US﹩ 12.3 milhões), com altas de, respectivamente, 73,2%, 41.2%, e 10,8% e em relação ao mesmo mês do ano anterior. Já no acumulado de janeiro a setembro desse ano, o Setor de HPPC exportou US﹩ 517.2 milhões, registrando crescimento de 16,4% em relação ao mesmo período de 2020 (US﹩ 444.3 milhões). No entanto, mesmo com o crescimento das exportações, a balança comercial para o setor segue deficitária em US﹩ 14.4 milhões, revertendo o saldo superavitário registrado no mesmo período de 2020 (US﹩ 2.5 milhões). Importações No período de janeiro a setembro de 2021, o setor de HPPC teve aumento de 20,3% nas suas importações em relação ao mesmo período do ano anterior, somando cerca de US﹩ 531.6 milhões. Fragrâncias foi o segmento de produtos que mais importou no período, registrando aumento de 85% em relação a 2020. Só no mês de setembro as importações de fragrâncias totalizaram (US﹩ 12.2 milhões). Quando comparados apenas os meses de setembro de 2020 e 2021, o aumento foi de 53%. Entre os produtos mais importados em setembro de 2021, depois do segmento de fragrâncias, estão Cremes para Pele, Protetores e Bronzeadores (US﹩ 8.8 milhões) e produtos de Higiene Oral (US﹩ 6.8 milhões). Os resultados apurados demonstram os impactos da desvalorização do real frente ao dólar, mas também, os esforços da indústria nacional de HPPC para manter-se competitiva e atraente para os mercados internacionais. Empresas do Beautycare Brazil registram crescimento das exportações de janeiro a setembro de 2021 As empresas participantes do Beautycare Brazil (Projeto de Internacionalização da Indústria Brasileira de HPPC), criado pela ABIHPEC em parceria com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), registraram US﹩151,91 milhões em exportações de janeiro a setembro de 2021, uma alta de 38% em relação ao mesmo período em 2020, que já acumulava um aumento de 18% no comparativo com 2019. O Projeto Setorial Beautycare Brazil reúne 102 empresas participantes que exportaram cerca de 161 produtos destinados a 120 países, entre eles estão produtos acabados; ingredientes; embalagens; serviços de pesquisa clínica e laboratorial e acessórios (cartelas de coloração, equipamentos para salões e spas, mobiliário para salões e spas, soluções para amostragem de produtos de beleza, terceirização de fabricação HPPC.). Sobre o Beatycare Brazil - O Beautycare Brazil é desenvolvido por meio de uma parceria entre a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Criado nos anos 2000, o projeto setorial tem a finalidade de promover a internacionalização das empresas de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos e alavancar o crescimento das exportações de produtos e serviços que envolvem a cadeia de valor do setor de HPPC. Clique aqui para mais informações. Sobre a ABIHPEC - A Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) é uma entidade privada que tem como finalidade representar nacional e internacionalmente as indústrias desse setor, instaladas em todo país e de todos os portes, promovendo e defendendo os seus legítimos interesses, por meio de ações e instrumentos que contribuam para o seu desenvolvimento, buscando fomentar a competitividade, a credibilidade, a ética e a evolução contínua de toda a cadeia produtiva. Clique aqui para mais informações.
Fonte: Por Assessoria de Imprensa