Credítos: Imagem divulgação
Startup apresenta no Shark Tank Brasil proposta inovadora de marketplace de clubes de assinatura nesta sexta, 29/10.
Na próxima sexta, 29/10, os tubarões do Shark Tank Brasil - maior reality show de empreendedorismo do país exibido pelo Sony Channel - irão conhecer uma proposta inovadora que surgiu durante a pandemia, sob a liderança de uma jovem executiva mirando um mercado que não para de crescer no Brasil e no mundo. Trata-se do Hub Home Box, startup cujo objetivo é ser um marketplace especializado, um verdadeiro ponto focal para localizar o clube de assinaturas para diferentes demandas dos consumidores. Segundo dados da ABCOMM (2020), o mercado de clubes de assinatura no Brasil já representa mais de R﹩ 1 bilhão, contando com cerca de 4 mil empresas. Neste modelo de negócios, o consumidor paga uma taxa e recebe periodicamente em sua casa produtos e serviços com a curadoria de uma empresa especializada. No entanto, encontrar o clube de interesse, mesmo com os recursos digitais, não era uma tarefa fácil até a chegada do Hub Home Box. Completando um ano de operação em novembro, a startup já conta com cerca de 100 clubes associados, mais de 70 mil sessões por mês e um ticket médio de R﹩ 120. As vendas vêm crescendo mês a mês, com destaque para assinaturas nas áreas de atividades manuais, alimentos e lingeries. Estima-se que em média, por dia, 600 novos consumidores assinem os mais diversos tipos de pacotes no Brasil. O Hub Home Box foi idealizada pela empresária Luciana Pimenta, CEO da empresa. "Eu costumo dizer que sou empreendedora desde a barriga da minha mãe. Durante o isolamento social eu senti uma necessidade muito grande de me reinventar, justamente por conta do setor em que atuava. Mas por onde começar? Primeiro fui para a internet buscar um fornecedor de produtos orgânicos para estocar durante os próximos dias e, se desse para fazer uma assinatura de entregas, seria melhor ainda. Neste momento eu tive o meu grande e precioso insight", explica. Para além dos já conhecidos clubes de bebidas (vinhos, cervejas), comidas (orgânicas), flores e livros, o campo nesta área ainda é vasto, vem crescendo de forma consistente nos últimos cinco anos e ganhou um impulso ainda maior com a pandemia. Por essa razão, Luciana foi estudar sobre e-commerce, sobre o comportamento do consumidor, justamente para trazer inovação com base em modelos de negócio bem-sucedidos em outros países, como os Estados Unidos. "A minha ideia não era somente fazer parcerias com clubes de assinaturas, mas também de trazer visibilidade e suporte para os empreendedores e microempreendedores que não podem contar com altos investimentos", revela. Durante o processo criativo, a empreendedora convidou para um bate-papo o engenheiro eletrônico Bruno Barasch, que logo após se tornou sócio do projeto. "Ele topou a ideia desde a primeira conversa e logo foi o responsável por todo o desenvolvimento full stack do site, itens necessários para o perfeito funcionamento, segurança de dados e melhor experiencia do usuário", explica. O próximo passo foi conversar com os clubes com o perfil do projeto, cuja adesão foi alta desde o início. A diferença entre o clube de assinatura e uma encomenda comum é que os clubes são um serviço regular e dão aos assinantes experiências personalizadas de recebimento. Desde o detalhe da caixa até a seleção de produtos, a sensação que o cliente tem ao receber seu kit é a de ganhar um presente. "As boxes chegam na casa das pessoas sempre com alguma surpresa além do produto esperado, como um brinde inusitado, uma guloseima ou um cartão personalizado de agradecimento", explica Luciana Pimenta. O Hub Home Box oferece expertise com a criação e com a logística aos novos empreendedores associados. "Trata-se de um serviço exclusivo para facilitar a entrega dos combos e oferecer uma experiência única ao cliente, sem que ele receba nada atrasado ou danificado", diz. O consumidor tem ainda benefícios como desconto na primeira compra e acesso a um programa de fidelidade. Já os clubes, além da visibilidade e estratégias de comunicação conjuntas, têm acesso ao Sistema de Controle e Gestão de Assinantes e orientações, itens que reduzem de forma significativa a necessidade de investimento inicial para empreendedores que desejem ingressar nesta área.
Fonte: Por Assessoria de Imprensa