Credítos: senivpetro
Investimento em aquecedor solar de água rende mais do que poupança
O aquecedor solar de água, equipamento com tecnologia totalmente nacional, com fonte renovável e limpa, cuja produção gera empregos no País, representa uma solução energética para a necessária redução do consumo de eletricidade neste momento de crise hídrica, mas também significa investimento financeiramente interessante para as famílias, rendendo mais do que a poupança. Análise é de Oscar de Mattos, presidente da Abrasol (Associação Brasileira de Energia Solar Térmica). O custo do aquecedor solar é de a partir de dois mil reais. Se continuar apenas com o chuveiro elétrico e colocar esse valor na poupança, em 20 anos a pessoa terá R$ 8.405,15. A substituição do chuveiro elétrico, que seguiria apenas como auxiliar, pelo aquecedor solar resulta em R$ 80,00 mensais de economia. Aplicado mensalmente esse valor na poupança durante 20 anos, obtém-se, após esse período, R$ 42.700,99. Se for feito depósito, em poupança mensal, da economia obtida na conta de energia elétrica, considerando R$ 80,00 no ano um e correções de 3% no valor do depósito, referente ao aumento anual da tarifa de energia elétrica, durante o período de 20 anos, o valor final será de R$ 104.295,61 (tabela completa em anexo). Estima-se que os aquecedores solares estejam presentes em 5% das residências brasileiras, representando 1,03% da matriz de consumo elétrico nacional. Com incentivo e programas governamentais de acesso ao equipamento, a ideia é que esta faixa seja ampliada para 24% das residências brasileiras em 2050. O chuveiro elétrico representa cerca de 37% da conta mensal de energia elétrica das famílias brasileiras. O aquecedor solar o substitui com vantagens, pois é completamente desconectado da rede elétrica, não gerando custos adicionais de medição. A opção pelo equipamento, portanto, proporciona significativa economia mensal. Os aquecedores solares de água são cerca de quatro vezes mais eficientes do que os painéis fotovoltaicos no aquecimento de água e atendem a aplicações residenciais de baixa até alta renda. Sua tecnologia está presente no Brasil há mais de 40 anos. São 100% nacionais, geram empregos apenas no País e usam matérias-primas totalmente brasileiras. As famílias, além de reduzirem suas contas de luz, contribuirão muito para reduzir as ameaças de apagão e/ou de racionamento de energia, ao substituírem seus chuveiros elétricos.
Fonte: Por Assessoria de Imprensa