Credítos: Imagem divulgação
Mondelēz Brasil anuncia meta de diversidade, equidade e inclusão até 2024.
A companhia quer ultrapassar os 50% de cargos de liderança ocupados por mulheres, chegar em 37% dos cargos administrativos ocupados por pretos e pardos, avançar para 6% na inclusão de Pessoas com Deficiência em cargos administrativos e estabelecer a meta para comunidade trans em LGBTQIA+ São Paulo, 21 de fevereiro de 2022 -- A Mondelēz International, líder mundial em snacks e dona de marcas como Lacta, Trident, Halls, Club Social, Bis, Oreo e Tang anunciará na Semana de Diversidade, evento interno, de 21 a 25 de fevereiro, metas que reforçam seu compromisso para promover o avanço em diversidade, equidade e inclusão no Brasil. Entre os principais objetivos estão: ocupar 50% de cargos de liderança com mulheres até 2024, aumentar para 37% o número de pessoas pretas e pardas em cargos de liderança e administrativos na companhia, ocupar 6% PCDs em cargos administrativos e liderança, e estabelecer nosso compromisso com a inclusão da comunidade Trans em nossa organização. Atualmente a Mondelēz Brasil, além de já cumprir com a equidade salarial, também possui 47% dos cargos de liderança, a partir de gerente, ocupados por mulheres, reforçando o seu olhar para a equidade de gênero. Em 2020, a companhia realizou um Censo para entender a população e constatou que há 37% de pretos e pardos em toda a companhia no Brasil e o objetivo para daqui a dois anos, é ter este mesmo número em cargos de lideranças e posições administrativas. No 1º semestre de 2021, 30% de todas as contratações foram de profissionais pretos e pardos. Recentemente, a empresa anunciou o programa de trainee 100% focado aos grupos de afinidade LGBTQIA+, Étnico-Racial, PCD e Mulher. “Priorizar a diversidade, equidade e inclusão já faz parte das práticas da Mondelēz Brasil. Faz parte da nossa cultura. Queremos ser o espelho da sociedade brasileira e representar o consumidor em todas as esferas, todas as áreas. Por isso, temos compromissos sólidos e contínuos para refletir a diversidade no mundo em que operamos e trazer mais representatividade para a companhia”, conta Betina Corbellini, vice-presidente de Recursos Humanos da Mondelēz Brasil. Também como parte de suas metas, a companhia atualizou a política de equidade de licença parental para casais homoafetivos. Assim como mães, os cuidadores primários (homem ou mulher) têm direito a seis meses de licença. Já os pais ou os cuidadores secundários (homem ou mulher) a um mês. Entre as resoluções já adotadas pela companhia estão licença maternidade e paternidade estendida, banco de talentos exclusivo para os quatro grupos de afinidade, adesão ao Compromisso pela Equidade Racial e parceria com consultorias especializadas para implementação das políticas internas de diversidade como Igual e Empodera. Além disso, vai investir R$ 50 milhões em empresas lideradas por pretos e pardos. A Mondelēz Brasil é integrante do MOVER, Movimento pela Equidade Racial, que tem como objetivo é gerar uma transformação de todo o ambiente de negócios em prol da equidade racial e combate ao racismo estrutural, de forma conjunta e propositiva com toda a cadeia de valor. O movimento investe, anualmente, R$15 milhões para criar 10 mil cargos de liderança e capacitar três milhões de pessoas negras, influenciando a cadeia de suprimentos para acelerar essa mudança.
Fonte: Por Assessoria de Imprensa