Credítos: senivpetro
Representatividade feminina cresce em área de M&A da advocacia.
As áreas de Direito societário e de fusões e aquisições ou M&A (Merger & Acquisitons) dos escritórios de advocacia são consideradas algumas das mais complexas e estratégicas, e a presença feminina vem ganhando constante representatividade nas equipes das bancas de especialistas e em cargos de liderança, em um ambiente no qual a participação masculina sempre prevaleceu Este movimento é observado no Martinelli Advogados, um dos maiores escritórios de advocacia do País, que tem a advogada Cintia Meyer, sócia-gestora da filial no Paraná e uma das profissionais mais admiradas pelo ranking Análise Advocacia Mulher de 2021, como líder da área de M&A. Atuando por mais de 15 anos neste segmento, ela possui experiência e vivência na área e vem observado, não só dentro dos escritórios, mas também na representação das organizações clientes, um aumento gradativo de mulheres atuando nas questões societárias e de fusões de aquisições. “No dia a dia, acabamos nos relacionando mais com homens do que com mulheres, contudo, a participação feminina está em franco crescimento, em favor da equidade de gênero e de uma transformação sociocultural que vem consolidando esta presença nas equipes dos escritórios e das empresas em fusão ou aquisição”, afirma Cintia Meyer. Na opinião da advogada, neste cenário, há um empenho das mulheres em externarem a sua competência e qualificação profissional, bem como a de exercerem suas habilidades comportamentais, consideradas essenciais para o desenvolvimento e crescimento na carreira. No Martinelli, mais de 60% da equipe é formada por mulheres, muitas em posição de liderança, como Cintia e a CEO do escritório, Juliana Martinelli. “Atualmente, a questão da qualidade de vida também no trabalho é fundamental, e acredito que a utilização das habilidades comportamentais está enraizada mais nas mulheres, que normalmente demonstram mais empatia, tolerância e flexibilidade, entre outras soft skills que melhoram os ambientes de trabalho e os desempenhos das pessoas”, observa ela, destacando que estes aspectos socioemocionais são muito valorizados no Martinelli. Considerando a necessidade de que a equidade de gênero se enraize nos ambientes profissionais, Cintia acredita que o equilíbrio entre homens e mulheres nas equipes acaba sendo a melhor combinação, pois traz os melhores resultados em termos operacionais, de satisfação do cliente, de retenção de talentos e em diversos outros indicadores.
Fonte: Por Assessoria