Credítos: freepik
Liderança feminina se destaca no mercado de franquias.
Franqueadas das marcas do Grupo Salus compartilham suas histórias e dão dicas de como alcançar sucesso nos negócios; 57% dos franqueados das marcas Sorridents e GIOlaser são mulheres No segmento de franquias de saúde, beleza e bem-estar, as lideranças femininas se destacam. No Grupo Salus, dos franqueados 57% da Sorridents, GiOlaser e Olhar Certo são mulheres. No comando da holding está Carla Sarni, uma das maiores lideranças femininas da atualidade, que tem inspirado outras mulheres a empreender. “A mulher tem uma capacidade muito grande para se destacar em qualquer posição que ela assume. Porém, ela precisa ter metas e colocar prazos em seus sonhos, para alcançar seus objetivos. Sonhos tem que prazo. Do contrário, passamos a vida toda sem realizar nenhum plano”, diz Carla Sarni, CEO do Grupo Salus. De operadora de telemarketing a franqueada da Sorridents Para a jovem nascida no interior de Minas Gerais, Luciene Teodoro, investir em uma franquia da Sorridents era um sonho distante. A relação com a marca começou em 1999, quando recebeu o convite da fundadora da marca, Carla Sarni, para trabalhar como operadora de telemarketing na rede. “Quando cheguei em São Paulo, trabalhava como babá e fazia trabalhos artesanais para complementar a renda. Gostava de ir ao cabeleireiro, mas, como não tinha dinheiro, pagava os serviços com os meus trabalhos”, conta Lucilene. Ao questionar a cabeleireira se ela não conhecia alguém que estava contratando para um emprego fixo, Lucilene recebeu uma indicação para conversar com Carla Sarni, que também era cliente do salão. “Conversei com a Carla e ela pediu que enviasse meu currículo. Surgiu uma vaga na área de telemarketing da Sorridents e eu fui contratada. Tempos depois, fui promovida a gerente e, posteriormente, a fiscal das clínicas da rede, onde fiquei por 16 anos”, lembra a franqueada. Como fiscal, Lucilene conseguiu também uma vaga para seu esposo. Nesse período, despertou o desejo do casal em investir em uma unidade e se tornarem franqueados. Para a realizarem o sonho, passaram a economizar muito. “Foi um período de renúncia, pois, deixamos de fazer muitos passeios, participar de eventos com amigos e familiares. Aos poucos, fomos montando nossa futura clínica. Comprávamos uma broca, depois um instrumento de valor maior, até conseguirmos investir em uma cadeira odontológica. De ‘broquinha em broquinha’ fomos montando nossa unidade”, relata Lucilene. Os planos começaram a se concretizar em 2010, quando Carla chamou Lucilene e seu marido Wilson para serem sócios em uma unidade em Diadema. Carla os encorajou a fazer o investimento. Em nove anos, o casal se tornou multifranqueado e adquiriu também as unidades da Vila das Mercês -- em processo de implantação - São João Clímaco, ambos na zona sul da capital paulista, e uma na região central da cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo. Em 2021, adquirem uma unidade da GiOlaser, rede de clínicas de estética que pertence ao Grupo Salus, holding de saúde, beleza e bem-estar que detém a Sorridents. Lucilene destaca que o suporte prestado pela franqueadora foi fundamental para a condução do negócio. “A franqueadora nos auxiliou, desde a compra do material para a reforma da clínica até o atendimento ao paciente. Uma equipe de esterilização visita a clínica uma semana antes da abertura e uma semana após a inauguração. Nos sentimos muito seguros como franqueados, pois não teríamos o mesmo suporte se investíssemos em um consultório, por exemplo”, explica a franqueada. A agora franqueada compartilha que a vida da família mudou e eles têm mais qualidade de vida. “Hoje podemos realizar alguns sonhos que antes de nos tornamos franqueados não conseguiríamos. Podemos viajar, conhecer lugares diferentes e descansar aos finais de semana”. Multifranqueada A administradora de empresas Polineiry de Faria Albernaz viu no mercado de franquias uma grande oportunidade de investimento. Oportunidade essa que fez a empreendedora deixar o trabalho como CLT de lado para tocar seu próprio negócio. “Eu trabalho na área de vendas desde os meus 17 anos de idade. Em 2016, decidi deixar meu emprego no mercado financeiro para empreender, um sonho que eu e meu esposo já tínhamos há algum tempo. Quando tomamos essa decisão buscamos uma franquia, pois o poder da marca faz toda a diferença no sucesso do negócio. Avaliamos o cenário econômico e identificamos que investir no mercado de saúde, bem-estar e beleza nos traria bons resultados, além de menos impacto em meio as crises”, conta. Polinery ressalta que, sempre que viajava a São Paulo, via algumas clínicas da Sorridents. Como conhecia a história da fundadora, Carla Sarni, a empreendedora se interessou em pesquisar mais sobre a rede. A escolha pela GiOlaser, marca que pertence à mesma holding que a rede de clínicas odontológicas, se deu por achar que a marca teria peso por estar atrelada à imagem da atriz. “O fato da rede de clínicas ser representada pela Giovanna Antonelli agrega valor e passa confiança para nossos clientes. O poder da imagem de uma artista como a Giovanna nos ajuda na condução da operação”, lembra a empresária de Uberlândia. A franqueada destaca que o empreendedorismo feminino é uma porta de entrada para a realização de muitos sonhos. Trabalhar com autoestima e beleza é o desejo de muitas mulheres e, empreender em uma franquia, além de proporcionar visibilidade de marca, é uma oportunidade de fazer o que se ama. “O empreendedorismo feminino nos dá a chance de buscar nossos sonhos, crescer pessoalmente e profissionalmente, e nos abre portas para conquistar muito mais que um trabalho que amamos, mas também ajudar outras mulheres a elevar a sua autoestima e se reinventarem profissionalmente. É mais que um trabalho, se trata de uma filosofia de vida. Os desafios existem, muitas vezes eles virão com renúncias e mudanças, porém conseguir superá-los e crescer profissionalmente, faz tudo valer a pena”, completa. Inspiração A fundadora do Grupo Salus, Carla Sarni, também tem uma trajetória inspiradora como empreendedora. Sua história é um exemplo para as mulheres que desejam se destacar no mercado. A CEO começou a empreender aos doze anos comercializando carreteis de linha e ajudava uma tia a vender semi-joias. Com 16 anos, e sem muitos recursos financeiros, ela saiu da sua cidade, Pitangueiras, no interior de São Paulo, e foi para Minas Gerais estudar odontologia na Universidade de Alfenas. “Para me manter na faculdade eu vendia água, bombons de leite ninho e até roupas, para meus colegas de faculdade e professores, o que me rendeu o apelido de camelô”, conta Carla. Após se formar, Carla veio morar em São Paulo na casa de um tio e começou a trabalhar em alguns consultórios. Porém, a odontologia praticada nesses locais não era a odontologia em que ela acreditava. Além disso, Carla identificou que havia uma discrepância entre os tratamentos odontológicos oferecidos para ricos e pobres. “Eu não concordava com o fato de todos os dentistas receberem o mesmo valor, independentemente se trabalhasse mais ou menos. Portanto, me empenhei em desenvolver um trabalho de acordo com o que eu acreditava e isso fez com que eu me destacasse profissionalmente”, lembra. Ao pedir demissão de um consultório em que trabalhava, seu ex-chefe fez uma proposta de venda da clínica e ela aceitou. Em 1995, surge a Sorridents, sustentada em quatro pilares - acesso, conforto, conveniência e qualidade. Em 2008, adota o modelo de franchising para acelerar a expansão. Até hoje, a marca é sustentada por quatro pilares - acesso, conforto, conveniência e qualidade. O modelo de negócios inovador da marca, desenvolvido por Carla, se tornou case de sucesso nas mais conceituadas Universidades de Negócios do Mundo, Harvard Business School e Stanford. “Hoje, a Sorridents representa 73% do mercado e o faturamento médio mensal chega a, aproximadamente, R$ 150 mil, uma lucratividade de 20%”, destaca a CEO.
Fonte: Por Assessoria