Credítos: Divulgação
Em ano histórico, Vulcabras alcança faturamento bruto de R$ 2,2 bi e lucro líquido de R$ 313 mi
A Vulcabras alcançou resultados históricos em 2021, com crescimento em todos os indicadores na comparação com 2020. A fabricante de calçados e itens esportivos encerrou o último ano com faturamento bruto de R$ 2,2 bilhões, um avanço de 56%. O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) chegou ao patamar de R$ 399 milhões, cifra 255% superior à registrada no ano anterior. Já a margem líquida saltou de 2,7% em 2020, para 16,8% em 2021, enquanto a margem bruta atingiu 35,3%, um aumento de 5,8 pontos percentuais. O faturamento recorde observado em 2021 é resultado de uma transformação estratégica que a companhia vem construindo há três anos. Uma das faces desse processo está relacionada a um maior investimento no segmento esportivo, com a ampliação do mix de marcas a partir do licenciamento de gigantes do setor. “Iniciamos o ano ajustando o nosso foco para o mercado esportivo, com a chegada da Mizuno em nosso portfólio, que já contava com Olympikus e Under Armour. São marcas muito fortes, que se complementam. A Olympikus é líder de mercado em volume de vendas; a Under Armour é a terceira maior marca esportiva do mundo e tem muito espaço para aumentar seu brand awareness no país. Já a Mizuno, com 25 anos de Brasil, pode, a partir das fortalezas da nossa empresa, retomar o protagonismo do passado e ser maior do que já foi”, projeta Pedro Bartelle, CEO da Vulcabras. Bartelle destaca que a organização vem fazendo uma gestão eficiente de cada marca, capturando todo o valor que elas podem trazer. “Essa gestão interna de portfólio tem nos possibilitado um crescimento estruturado que se sobrepõe às adversidades do mercado”, afirma. Bartelle ressalta ainda a relevância de contar com um modelo de negócio ágil e flexível. Na avaliação dele, é um diferencial competitivo ter uma indústria “dentro de casa”, ser uma organização verticalizada na produção de calçados. "Além disso, dispomos de força e capacidade de distribuição, pois estamos presentes em mais de 19 mil pontos de vendas no Brasil”, diz. Outra iniciativa que ajudou na performance financeira da Vulcabras em 2021 foi o reforço na área de e-commerce. “Aceleramos o nosso processo de digitalização, com foco no Direct-to-Consumer e em novas ferramentas para suporte às operações digitais de nossos parceiros. Por meio da construção do Centro de Distribuição, em Extrema, Minas Gerais, ampliamos a nossa operação de distribuição para DTC, o que nos permitiu uma conexão mais próxima e direta com o nosso consumidor. Essas medidas, somadas à nossa capacidade de desenvolvimento de produtos de alta tecnologia, em linha com a demanda do mercado nacional, tiveram papel importante no aumento do faturamento e do lucro líquido”. Resultados do 4º trimestre Assim como no acumulado do ano, a Vulcabras registrou no 4º trimestre avanço em todos os indicadores na comparação com o mesmo período de 2020. Pelo terceiro trimestre consecutivo, a empresa registra um recorde de faturamento, alcançando R$ 730 milhões de receita bruta, um aumento de 36% em relação ao 4T20. O EBITDA aumentou 62,3%, saltando de R$ 73,9 milhões para R$ 119,9 milhões. A margem EBITDA cresceu 3,2 pontos percentuais, atingindo 19,3%, ante 16,1% registrado no 4º trimestre de 2020. Já o lucro líquido foi de R$ 81,2 milhões, um acréscimo de 49% e a margem líquida foi de 13,1% no trimestre, acréscimo de 1,2% na comparação com os 11,9% alcançados no 4º trimestre do ano anterior. “Nesse último trimestre, seguimos a trajetória de crescimento robusto. Os calçados Mizuno apresentaram forte crescimento e a divisão de Vestuário e Acessórios teve aumento de 58,8% em relação ao quarto trimestre de 2020. O faturamento do canal de e-commerce das marcas subiu 81% em relação ao mesmo período do ano anterior. A margem bruta da companhia ficou em 36,1%, 3,4 pontos percentuais maior que os últimos três meses de 2020, sustentando a recomposição de margem que a empresa vem apresentando nos últimos trimestres. O lucro deste trimestre é 100% operacional, sem receitas extras, resultado de projetos que capturam sinergias no processo produtivo, um melhor mix de produtos entre as marcas e melhorias nos canais de vendas”, complementa o executivo. Pedro Bartelle adianta que a perspectiva da Vulcabras para 2022 é consolidar a atuação da empresa no varejo esportivo. “Neste ano, o segmento de calçados esportivos segue como a principal alavanca dos nossos negócios, mas investiremos também na divisão de vestuário e acessórios, que vem apresentando avanço consistente”. Ainda no primeiro trimestre, chega ao varejo a nova coleção nacional da Mizuno, 100% desenvolvida pela Vulcabras e mais alinhada às necessidades do consumidor brasileiro. O desenvolvimento interno trará sinergias no processo produtivo, que devem proporcionar melhores margens. Para Olympikus e Under Armour, as perspectivas são de bons resultados e crescimento contínuo.
Fonte: Assessoria