Credítos: jcomp
Restauração florestal: iFood dá início a plantio de 50 mil mudas
Após arrecadar doações para o plantio de árvores nativas em parceria com a fundação SOS Mata Atlântica, o iFood -- maior foodtech da América Latina --, inicia o plantio de 50 mil mudas de árvores nativas da Mata Atlântica em Porto Feliz e em Marabá Paulista (ambas no interior de São Paulo), representando uma área similar a 20 campos de futebol. Essa quantidade de árvores tem potencial de, em 20 anos, retirar até 8.300 toneladas de CO2 da atmosfera, que poderia corresponder a mais de 28 milhões de entregas feitas no delivery. A iniciativa faz parte do iFood Regenera, programa de compromisso ambiental da companhia que propõe um conjunto de metas para se tornar neutra na emissão de CO2, além de mensurar, reduzir e compensar todas as emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE) do seu negócio, até 2025. A primeira etapa da ação será o plantio de 30 mil mudas de árvores, no dia 15 de março, na área do Instituto Raquel Machado, em Porto Feliz, local que acolhe animais silvestres vítimas de tráfico e maus-tratos. “A cidade foi escolhida para esse plantio por estar em uma região que historicamente sofre com falta de água. Desta forma, vamos auxiliar na recuperação da mata das margens dos rios para, assim, melhorar a condição do ciclo hídrico da região”, explica André Borges, head de sustentabilidade do iFood. “Tanto em Porto Feliz quanto em Marabá Paulista, os dados do Atlas da Mata Atlântica indicam que restam somente 4% e 3,4% da vegetação nativa original, respectivamente. A ciência mostra que o ideal é termos 30%, portanto estamos muito longe e precisamos de ações como essa para recuperar a floresta”, afirma Rafael Bitante Fernandes, gerente de restauração florestal na SOS Mata Atlântica. Segundo ele, a mata contribui para o bem-estar de toda a população, pois colabora para questões essenciais como abastecimento de água, regulação do clima, agricultura, pesca, energia elétrica e turismo. Em Marabá, região do Pontal do Paranapanema, o projeto visa restaurar Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal. Existem duas importantes Unidades de Conservação próximas do local beneficiado: o Parque Estadual Morro do Diabo e a Estação Ecológica Mico-Leão-Preto. Como parte das iniciativas de neutralização de emissões, o iFood também realiza a compensação antecipada de emissão de CO2 das entregas, com foco em projetos de preservação da Amazônia e de energia renovável. Já nas ações de regeneração, em parceria com a SOS Mata Atlântica, a empresa promove a restauração florestal, especialmente em regiões degradadas e de stress hídrico. "Sabemos o impacto que o segmento de entregas tem no meio ambiente, por isso temos uma série de iniciativas para reduzir e, até zerar nossas emissões. Regenerar as florestas é um pilar essencial, devolver ao ecossistema o que retiramos dele está entre as nossas premissas e vamos continuar atuando e investindo fortemente nesta frente”, comenta Borges. Os consumidores também fazem parte dessa história. Em janeiro deste ano, o iFood disponibilizou uma área de doações via aplicativo para arrecadar o valor que foi revertido na compra de mudas de árvores para serem plantadas. Ao todo, foi arrecadado mais de R$ 200 mil dos usuários, além de ter contado com doações institucionais do próprio iFood e da Heineken. “Essa é mais uma prova de que a união entre sociedade, corporações e ONGs é essencial para que ações eficazes em prol da sustentabilidade sejam realizadas”, finaliza Borges.
Fonte: Assessoria