Credítos: Divulgação
Em meio à crise de combustíveis, Startup auxilia transportadoras com soluções para preço do diesel,
O ano de 2022 está sendo marcado pela crise nos preços dos combustíveis no mercado mundial, refinarias e consequentemente nos postos de abastecimento. De acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na semana do dia 27/02 a 05/03 o preço do diesel era R$5,603, na semana seguinte seu valor chegou a R$5,814. Ao todo, segundo o Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBI), a Petrobras já acumula um crescimento de 35% no preço do litro do diesel vendido às distribuidoras desde o início do ano. Desde janeiro de 2021, a estatal aumentou o preço do diesel 13 vezes, segundo o Observatório Social da Petrobrás (OSP), organização ligada à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP). Para os consumidores, o valor do litro do diesel passou de R$ 3,74 no início do ano passado, para R$5,81 neste mês de março. Os números são impactantes, e a falta de um planejamento para que os aumentos sejam freados preocupam a população em geral e principalmente as empresas que possuem frotas, ou utilizam esse serviço para a distribuição de suas mercadorias. O transporte rodoviário de cargas (TRC) é hoje o principal meio de abastecimento do comércio e da indústria brasileiros, sendo responsável por movimentar cerca de 65% de tudo aquilo que é produzido no país e segundo dados técnicos da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&logística), o impacto no preço do diesel, deveria acarretar em um reajuste do frete de 28,96% na carga fracionada e 38,82% na carga lotação. Foi pensado justamente nesse desafio, somado a dificuldade dos postos de combustível com suas margens de vendas, que a startup Gasola foi criada. A plataforma conecta empresas que possuem frota a postos, permitindo uma relação comercial direta e fornecendo gestão e segurança na hora do abastecimento. O motorista cadastrado pela transportadora acessa o aplicativo e gera um token. O frentista verifica as informações e valida esse abastecimento. Uma conta corrente digital entre a transportadora e o posto é criada para que possa haver pagamento direto. Desta maneira, mesmo o posto dando desconto para a transportadora, é possível aumentar a margem de venda dele, simultaneamente. Segundo o fundador da Gasola, Ricardo Lerner, “Entre 30% e 50% do custo de uma transportadora é diesel. Normalmente, a empresa abastece e usa um cartão de frota para pagar. Nessa transação, o posto perde cerca de metade da margem da venda. As altas taxas cobradas, somadas ao alto prazo de pagamento, limitam os postos a darem descontos para as transportadoras e por isso, a Gasola tem sido tão eficiente para as empresas e para os postos de combustíveis”. “Nosso sistema possui um algoritmo que aprende com cada abastecimento. Com esse histórico que avaliam de cada veículo, conseguimos identificar quando o motorista está digitando alguma informação errada. (...) Esse algoritmo, aliado ao suporte imediato, garante uma gestão impecável de km/litro”, comenta Ricardo. Contando hoje com 650 postos ativos e 155 transportadoras como clientes, a plataforma tem se tornado uma solução interessante. Segundo a startup, as empresas que começaram a pagar direto os postos através do Gasola, estão conseguindo reduzir o preço do diesel na bomba de R$0,10 a R$0,40 por litro. Os ganhos com os descontos são aproximadamente seis vezes maiores do que os valores de contratação da empresa. Atualmente, segundo a avaliação de desempenho da plataforma com seus usuários, e economia média por litro de diesel abastecido é de R$ 0,17, o que possibilita uma margem de lucro maior para as empresas parceiras. Com isso, o Gasola vem despontando no mercado, tendo somente em 2021 um crescimento de mais de 500% em suas operações, contribuindo assim com esse momento tão desafiador para as empresas transportadoras.
Fonte: Assessoria