Credítos: rawpixel
Três startups para ficar de olho em 2022
Grupo Mene & Portella tem realizado investimentos em startups promissoras do país. Executivos do grupo dão dicas de três empresas que não param de crescer Em 2021, o investimento captado por startups brasileiras foi o maior registrado nos últimos cinco anos, de R$55,6 bilhões, de acordo com levantamento da Distrito. Essa aposta dos investidores nas empresas de tecnologia do Brasil tem tudo para se manter em 2022, já que em fevereiro deste ano as startups já levantaram R$3,8 bilhões em investimentos, volume 129% superior ao mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento da Distrito. Mês passado foram realizadas 40 transações no total, com as fintechs liderando os aportes mais significativos, seguidas pelas HRTechs, startups de real estate, retailtechs e martechs. Trata-se de um setor que vem atraindo muitos recursos nos últimos anos, como mostram os números da Distrito, e que não sentiu o baque econômico provocado pela pandemia. Nesse universo tech, as martechs ainda têm muito espaço para crescer, já que a comunicação tradicional vem passando por transformações muito intensas, principalmente em relação a audiência e no modo de consumir conteúdo e fazer publicidade. “O mercado brasileiro possui muitas necessidades, principalmente quando olhamos de forma regional. Muitas startups brasileiras estão nascendo fora do eixo Rio-São Paulo com um mix de soluções para o setor de comunicação”, diz Nilio Portella, sócio-fundador do grupo Mene & Portella (M&P). A M&P é um dos maiores grupos de comunicação do Norte e Nordeste do país e agora quer expandir seus negócios para todo Brasil. Os sócios Túlio Mêne e Nilio Portella iniciaram o plano de expansão da empresa no segundo semestre de 2021 por meio da criação do seu fundo de Venture Capital, a Captall Ventures. “Criamos o fundo para fomentar o ecossistema de inovação no Brasil, acelerando startups com aportes Pré-Seed (primeira rodada de investimento) e EarlyStage (startups em estágio inicial de desenvolvimento). Hoje temos cerca de 200 startups em nosso portfólio”, conta Túlio Mêne. Uma das startups investidas pela M&P é a One Big Media, que fechou 2021 com 100 canais, entre adquiridos e criados. Com forte presença no YouTube e Kwai, a startup auxilia criadores a crescerem de forma acelerada, ganhando audiência e relevância dentro das plataformas de streaming. Ao todo, a empresa contabiliza mais de 60 milhões de inscritos em seus canais, com meta de alcançar 100 milhões em 2022. “Em pouco mais de três anos de atuação no mercado, já podemos dizer que a empresa contabiliza números relevantes. Temos mais de 11 bilhões de views acumulados, sendo uma média de 300 milhões ao mês, além de mil vídeos novos mensalmente”, afirma Leo Soltz, CEO da One Big Media. O executivo diz ainda que, em média, 50 milhões de pessoas vivem da economia da criação em todo o mundo. “Nosso papel é captar exatamente o que esses criadores e seus públicos buscam”, completa. Já a Trakto, startup alagoana que também recebeu aporte da M&P, captou R$7 milhões ano passado e realizou um dos maiores eventos de negócios em 2021. O Trakto Marketing Show, realizado em Maceió em novembro passado, antes da chegada da variante ômicron, reuniu grandes nomes do empreendedorismo e marketing digital em evento com 3.800 pessoas e mais de 100 palestrantes. “Desde o início da nossa jornada já levantamos mais de R$10 milhões em recursos. Estamos acelerando a nossa estratégia para impulsionar a Trakto e sermos referência para micro e pequenos empreendedores”, conta Paulo Tenório, CEO e fundador da Trakto. A startup é uma plataforma de design gráfico que permite ao pequeno negócio criar peças de marketing. A empresa possui mais de 500 mil usuários e 15% do faturamento vem de assinaturas no exterior. Segundo Tenório, há planos para uma rodada séria A em breve. A Hitbel é outra startup para ficar de olho em 2022. Também investida pela M&P, a empresa atua como uma das principais ferramentas de suporte a carreiras digitais de artistas e creators focada na distribuição, gestão e proteção de direitos autorais de conteúdos digitais nas principais plataformas de streaming do mundo, como YouTube, Deezer, Spotify, TikTok entre várias outras. “No início, a Hitbel atuava como uma distribuidora de conteúdo musical gospel para o mercado de telecom, mas com uma boa visão estratégica de mercado evoluiu para distribuição mais inteligente, tornando-se parceira premium do YouTube e fazendo a gestão de Content Management System (CMS)”, explica Reinaldo Heleno, sócio-fundador da Hitbel. De acordo com o executivo, a plataforma indica quais as melhores estratégias para garantir o melhor retorno financeiro para o artista. Falando em remuneração, toda a gestão e proteção de direitos autorais dos clientes é realizada dentro da plataforma, trazendo transparência e confiabilidade ao processo. “Essas três startups já dão uma dimensão da competência e da competitividade do mercado brasileiro e como temos espaço para crescer. O grupo M&P tem investido nessas e em outras startups para fortalecer o nosso hub de inovação e oferecer aos nossos clientes uma variedade de soluções para impulsionar os seus negócios”, completa Nilio Portella. Números da M&P Em 2021, o grupo Mene & Portella faturou mais de R$250 milhões Mais de 250 colaboradores fazem parte da Mene & Portella R$1 bilhão em verbas foram administrados pela Mene & Portella em 15 anos de existência do grupo Presente em mais de 10 estados do Brasil, o grupo Mene & Portella possui hoje mais de 200 startups no fundo da Captall Ventures, vertical de tecnologia e inovação do grupo
Fonte: Assessoria