Credítos: Divulgação
Com procedimentos estéticos acessíveis, Royal Face fatura mais de R$150 milhões em 2021
Considerada uma das redes pioneiras na democratização dos procedimentos estéticos faciais e corporais -- por meio do pagamento facilitado e preços acessíveis --, a Royal Face encerrou 2021 com o total de 159 unidades inauguradas, num total de mais de 252 comercializadas. A meta do faturamento anual foi superada, fechando em R$150 milhões, com geração de 800 empregos diretos e 4 mil indiretos. Esses números positivos representam um aumento de 270% de faturamento em relação a 2020. Até o fim de 2022 a Royal Face pretende chegar a 350 unidades comercializadas, sendo destas 300 inauguradas, com o crescimento orgânico em torno de 211% em faturamento, chegando a mais de R$ 300 milhões. Para isso, a Royal Face planeja investir mais de R$35 milhões, gerando mais de 1500 empregos diretos e cerca de 5000 indiretos em todo o País. E estes bons ventos atingiram todo o setor de Saúde, Beleza e Bem-estar, segundo o mais recente levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF). O segmento faturou cerca de R$39 bilhões em 2021, o que representa um crescimento de 11, 2% em relação a 2020. Já em número de unidades, o segmento chegou a cerca de 30 mil pontos no país o que representa um incremento de 10,5% em comparação com 2020. A Royal Face oferece mais de 40 tipos de tratamentos faciais e corporais, como toxina botulínica, preenchimento e fios de sustentação, bioestimulador de colágeno, além de microagulhamento, lipo de papada, entre outros com os mais renomados produtos do mercado. Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (Isaps - da sigla em inglês), em 2018 o Brasil concentrou 9,7% de todos os procedimentos estéticos realizados no mundo, sendo 770 mil não cirúrgicos e 1,5 milhão cirúrgicos. Destes, quase 400 mil foram aplicação de botox e mais de 250 mil de ácido hialurônico. Além disso, uma pesquisa realizada por uma entidade alemã -- na qual foram entrevistados moradores de 22 países -- revelou que os brasileiros estão entre os mais vaidosos do mundo. As mulheres investem 5,3 horas semanais cuidando do bem-estar e aparência. Já os homens gastam 3,5 horas. Segundo o levantamento, o Brasil perde somente para a Itália, país em que as mulheres passam 6,2 horas por semana cuidando de si. Quem oferece a visão em relação à gestão do negócio é o diretor de Expansão, Mauri Torres. “Mesmo em um ano com tantos obstáculos, nós nos unimos, superamos, investimos em infraestrutura, tecnologia e educação continuada, fizemos um trabalho direto com os franqueados e mantivemos o nosso plano de expansão. O período de enfrentamento da pandemia vivido em 2020 foi uma oportunidade aos nossos interessados para realizar um investimento em um negócio de sucesso, diz. Fundada em Curitiba em 2015, a Royal Face integra a Associação Brasileira de Franchising (ABF) e atua desde 2018 no sistema de franquias com três modelos de negócios: Slim, Standard e Premium. O investimento inicial é a partir de R$ 169 mil, com um faturamento que pode chegar até R$ 3,8 milhões anuais, dependendo do modelo. A empresa é uma das pioneiras no oferecimento do “Carnê da Beleza”, que facilita o pagamento dos procedimentos em até 24 meses.
Fonte: Assessoria