HOME

NOTÍCIAS

Miguel Setas, presidente da EDP Brasil, é o novo CEO porta-voz do Pacto Global da ONU

Miguel Setas, presidente da EDP Brasil, é o novo CEO porta-voz do Pacto Global da ONU

Divulgação

Miguel Setas, presidente da EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, foi anunciado pela Rede Brasil do Pacto Global, da ONU, como CEO porta-voz do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 11 (ODS 11) - Cidades e Comunidades Sustentáveis - na iniciativa Liderança com ImPacto. A escolha levou em consideração o envolvimento da EDP com o ODS defendido, análise reputacional da Companhia e de seu CEO, bem como o nível de engajamento e alinhamento com as premissas e compromissos propostos pela iniciativa no País. As lideranças selecionadas para cada ODS atuam como mobilizadoras da sustentabilidade dentro e fora de suas empresas, contribuindo para o fortalecimento das metas da Agenda 2030 em conjunto com stakeholders da cadeia de valor, com governos e influenciadores em geral. "O desafio do pós-pandemia está profundamente ligado ao propósito do ODS 11: tornar as cidades e comunidades mais inclusivas e sustentáveis. Temos diante de nós a oportunidade de construir um novo normal, de promover uma retomada mais verde e humana. A mobilização das lideranças empresariais será decisiva para que a Década da Ação se concretize e as metas da Agenda 2030 se tornem realidade. O setor energético, em especial, tem uma contribuição crucial para frear o avanço da Emergência Climática, pelo papel transversal da energia no setor produtivo, nos transportes e na residência das pessoas", afirma Miguel Setas. Com uma pauta voltada à sustentabilidade, inovação e responsabilidade social, sob a gestão e Miguel Setas, a EDP tem avançado na oferta de serviços geração de energia solar, mobilidade elétrica e eficiência energética e tornou-se reconhecida por projetos emblemáticos, como a instalação do primeiro corredor de carregadores para automóveis elétricos entre Rio e São Paulo e o anúncio da implantação da primeira e maior rede de recarga ultrarrápida de veículos elétricos da América do Sul. Na frente da Responsabilidade Social, a EDP é principal patrocinadora da reconstrução do Museu da Língua Portuguesa e a primeira patrocinadora máster da recuperação do Museu do Ipiranga - um investimento total de R$ 32 milhões. Neste ano, a Companhia destinou mais de R$ 10 milhões a ações de enfrentamento da pandemia, como compra de respiradores e EPIs para a rede pública de saúde, realização de obras elétricas de hospitais de campanha e doação de 350 toneladas de alimentos e kits de higiene pessoal a comunidades vulneráveis e povos indígenas. Ao todo, essas iniciativas beneficiaram mais de 400 mil pessoas em todo o Brasil. O estímulo da companhia às cidades sustentáveis passa ainda pela cultura de inovação aberta, baseada na colaboração entre agentes internos e externos, como o ecossistema empreendedor de startups, parceiros de negócios, clientes, instituições acadêmicas, órgãos reguladores, entre outros. Dentre as iniciativas na área destacam-se o EDP Starter e a EDP Ventures Brasil. O primeiro é um programa de aceleração de negócios com startups que atuam nas verticais de energias limpas, soluções para clientes, inovação digital, armazenamento de energia, redes inteligentes, acesso à energia e inovação em processos internos. Já a EDP Ventures é o primeiro veículo de venture capital do setor elétrico brasileiro, com orçamento inicial de R$ 30 milhões e investimento em seis startups até o momento. Em 2020, a EDP foi considerada a empresa mais inovadora do setor no ranking Valor Inovação, do jornal Valor Econômico, que, em 2019 e 2020, também elegeu Miguel Setas como o melhor CEO do setor elétrico. Agenda ESG Em 2020, a EDP Brasil submeteu à Organização das Nações Unidas (ONU) o compromisso de reduzir suas emissões para garantir que o aquecimento global não exceda 1,5°C, aderindo ao Business Ambition for 1,5ºC - Our Only Future. Para isso, a Companhia comprometeu-se a garantir que, até 2030, 100% da energia que gera sejam provenientes de fontes renováveis. A companhia também aderiu ao Recover Better, uma iniciativa global que propõe a governos e empresas de todo o mundo alinhar seus esforços de recuperação e ajuda econômica relacionados à crise da Covid-19 com base nos mais recentes estudos climáticos. A EDP assumiu o compromisso de garantir que, até 2030, 100% da energia gerada pela empresa será de origem renovável. Além disso, a Companhia subscreve o Compromisso Empresarial Brasileiro para a Biodiversidade, iniciativa do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) que endossa o comprometimento da EDP com a prevenção, mitigação e compensação de impactos sobre a diversidade, além da geração de compartilhamento de informações sobre o tema.

assessoria de imprensa EDP