HOME

NOTÍCIAS

Bibi lança primeiro e-commerce na América Latina

Bibi lança primeiro e-commerce na América Latina

Divulgação

Desde a década de 1990, a Bibi exporta exclusivamente calçados com marca e design próprio para o Chile, e hoje também está presente nas redes mais importantes do País. Segundo a empresa, para este ano, um dos planejamentos da marca é investir na expansão de lojas franqueadas, mas a pandemia mudou o cenário como um todo. Com as lojas físicas fechadas, houve um aumento considerável nas vendas de calçados através dos meios digitais, como mídias sociais e WhatsApp. Dessa forma, os investimentos já previstos pelo parceiro da rede foram direcionados para implantação do primeiro e-commerce da Bibi na América Latina, que já está disponível para os consumidores chilenos. A Bibi levou a experiência bem sucedida do e-commerce brasileiro para o Chile. Dessa forma, Macarena Fache e Antonio Fache, parceiros da marca e responsáveis pela implantação do projeto no exterior adaptaram o modelo de negócio virtual de forma regional. “Com a chegada da pandemia e as lojas fechadas, começamos a efetuar vendas pelas redes sociais. Ao analisar essa questão, vimos que seria atrativo para o mercado chileno investir em um e-commerce, que daria mais segurança, conforto e agilidade aos clientes. Conseguimos nos adaptar num prazo de 40 a 45 dias e hoje conseguimos explorar o negócio também por meio de marketplace, que dão um incremento no faturamento”, revela Macarena. O casal é distribuidor da Bibi há três anos, efetuando a importação dos produtos e distribuição para todo País. A logística é toda feita localmente, com fornecedores avaliados e validados pelos clientes. Após a retomada regular das atividades e a estabilização do cenário em meio a pandemia, está nos planos dar continuidade ao projeto de expansão para a implantação de uma loja física no Chile. “Com um ponto de operação, os projetos de transformação digital da franqueadora abrem um leque de oportunidades. Com a Prateleira Infinita, o Clique e Retire, o delivery e a venda link é possível explorar de forma rentável e atrativa a integração do on-line com o off-line, dando mais visibilidade ao negócio em diferentes frentes”, explica a presidente da Calçados Bibi, Andrea Kohlrausch. O intuito da Bibi é levar o modelo de negócio do e-commerce para outros países, inicialmente na América Latina. Assim, o investimento tanto da página quanto do estoque é do parceiro. A marca entrega uma plataforma VTex nos mesmos moldes da brasileira, o que dá agilidade no processo de implantação e uma transferência de know-how. A mesma base é usada e são feitos apenas os ajustes de acordo com o local de atuação. “Lançamos o e-commerce no Brasil em 2013, mas apenas a partir de 2017 é que passamos a trabalhá-lo como uma frente de loja, se integrando com o varejo físico. E esta é uma das etapas de internacionalização que esperamos chegar daqui alguns anos. O Peru que já tem unidades franqueadas da marca é um mercado promissor para receber este projeto”, explica Kohlrausch. Mais sobre a transformação digital Entre os projetos, está a Prateleira Infinita, que é a integração entre as lojas físicas e o canal on-line. Se o cliente está em uma unidade e deseja um produto que não tenha disponível na loja, a consultora de vendas pode efetuar a venda retirando o produto do centro de distribuição do e-commerce e o cliente opta se quer retirar o produto na loja ou se prefere que a entrega seja feita em casa. O contrário também acontece, por meio do Clique & Retire, pois o consumidor pode comprar online e retirar na loja de sua preferência. Há também o Bibi Delivery e Bibi Home, onde o cliente fala com a vendedora pelo WhatsApp, recebe as fotos dos produtos, faz o seu pedido, efetua o pagamento pelo celular via link e recebe o calçado em casa. Uma das modalidades que cresceu muito durante a pandemia foi a Entrega Expressa. Neste caso, as lojas da Bibi atuam como mini centros de distribuição do e-commerce, considerado pela marca uma frente de loja. "Hoje, a rede consegue ter acesso ao estoque das unidades. Assim, quando um cliente compra pelo e-commerce, se o produto está disponível em uma das lojas da Bibi, de acordo com a proximidade do CEP do consumidor, a venda é faturada para a unidade em questão e a entrega do produto é realizada em até 24 horas. A venda é faturada para o e-commerce e tem o produto enviado do CD central apenas se não existir lojas da Bibi próximas ao endereço do cliente. Porém, essa distância varia de acordo com a região e o estado”, finaliza a presidente.

assessoria de imprensa Bibi