HOME

NOTÍCIAS

Pesquisa aponta CEOs franceses como os que mais priorizam fatores ambientais, sociais e de governança

Pesquisa aponta CEOs franceses como os que mais priorizam fatores ambientais, sociais e de governança

Free-Photos por Pixabay

Uma pesquisa global da KPMG "CEO Outlook 2020" apontou que os executivos franceses deram maior ênfase aos fatores ambiental, social e de governança (ESG, sigla em inglês) durante a pandemia, colocando esses critérios no topo das prioridades com maior enfoque ao componente social. Os líderes reconheceram ainda que a gestão da questão ambiental será essencial e decisiva para o sucesso da empresa que lidera e para a manutenção do emprego nos próximos cinco anos. O recorte francês do CEO Outlook 2020, produzido pela KPMG, traz um retrato fiel das principais preocupações, prioridades e expectativas dos CEOs franceses no que se refere ao desenvolvimento dos negócios, os desafios que os líderes enfrentam e estratégias para planejar o sucesso nos próximos anos das organizações que lideram. O levantamento foi direcionado para as questões que envolvem as mudanças geradas pela crise mundial da covid-19. "O levantamento trouxe os principais desafios dos líderes das empresas francesas como a questão ambiental e social, transformação digital e trabalho remoto que foram as principais mudanças impostas pela pandemia. O estudo mostrou que eles redobram os esforços de transformação e colocam em prática estratégias inovadoras para se estabelecerem na nova realidade pós-covid", analisa o sócio-líder da prática francesa da KPMG no Brasil, Roberto Haddad. De acordo com a pesquisa, quando o assunto foi a aceleração da transformação digital, oito em cada dez executivos franceses viram a transformação digital dos negócios acelerar durante a pandemia. Eles afirmaram ainda que estão agora mais inclinados a investir mais em tecnologia. Já com relação às novas organizações de trabalho, 85% dos líderes franceses disseram que vão continuar a contar com ferramentas de colaboração digital usada durante o período de isolamento social. A pesquisa mostrou ainda que os líderes franceses estão mais atentos do que nunca ao raciocínio do ser e da missão da empresa. Oitenta por centos deles disseram que tiveram que reavaliar após a crise da covid-19 as prioridades da organização que lideram. Quando questionados se a empresa onde trabalha está comprometida com a igualdade, 83% deles apontaram que estão apresentando novas medidas concretas para lutar contra o racismo, por exemplo. Além disso, 63% dos CEOS afirmaram que a saúde deles ou de algum um membro da família foi afetada pelo vírus.

assessoria de imprensa KPMG