HOME

NOTÍCIAS

A Pfizer diz que a análise final dos dados aponta que a vacina da Covid é 95% eficaz

A Pfizer diz que a análise final dos dados aponta que a vacina da Covid é 95% eficaz

fernando zhiminaicela por Pixabay

Em um cenário onde uma verdadeira corrida por uma vacina segura e eficaz contra a COVID-19 e cada vez mais imunizantes se aproximam da linha de chegada, As farmacêuticas Pfizer e BioNTech se tornaram as primeiras a anunciarem a conclusão dos testes da fase 3 de uma vacina contra a Covid-19. A notícia chega mais de uma semana depois que as empresas anunciaram que sua vacina era mais de 90% eficaz e dois dias depois que a Moderna disse que os dados do ensaio preliminar da fase três mostraram que sua vacina era de 94,5%. Ambas as vacinas usam a tecnologia de RNA mensageiro, ou mRNA. É uma nova abordagem para vacinas que usa material genético para provocar uma resposta imunológica. Mesmo sem uma publicação em uma revista científica, os resultados são positivos e animadores. O maior desafio, no entanto é encontrar uma forma de manter a vacina em uma temperatura inferior a -70° C durante o transporte, para que o imunizante não perca sua eficácia. "A companhia elaborou um plano logístico detalhado com ferramentas para apoiar o transporte eficaz, armazenamento e monitoramento contínuo da temperatura da potencial vacina contra a Covid-19. Para isso, foi desenvolvida uma embalagem especial (em formato de caixa) com temperatura controlada, fácil de transportar e manipular, que utiliza gelo seco para manter a condição de armazenamento recomendada (...) por até 15 dias", disse a Pfizer em nota. A empresa ainda destacou que todos os índices de segurança exigidos pela agência americana de saúde, a Food and Drug Administration (FDA), para a Autorização de Uso de Emergencial foram alcançados. A farmacêutica informou que, com isso, pretende entrar com o pedido de uso emergencial da sua vacina nos próximos dias, mas sem dar uma data específica e, também, o envio das informações a agências de outros países. Além disso, tudo será publicado em um jornal científico, afirma. Porém, mesmo com o uso emergencial, a vacina precisará passar pelo processo de validação do registro no FDA. "A eficácia foi consistente em dados demográficos de idade, raça e etnia. A rápida proteção que esta vacina oferece – combinada com seu perfil de tolerabilidade em todas as faixas etárias estudadas até agora – deve ajudar a tornar o imunizador uma ferramenta importante para enfrentar a pandemia atual", comemora Ugur Sahin, CEO e cofundador da BioNTech, empresa alemã envolvida nos estudos. As ações da Pfizer saltaram 3% no pré-mercado, enquanto as da BioNTech subiram 6,2%.

Da Redação