HOME

NOTÍCIAS

British Council lança plataforma digital pioneira sobre o Ensino da Língua Inglesa no Brasil

British Council lança plataforma digital pioneira sobre o Ensino da Língua Inglesa no Brasil

Reprodução

O British Council, organização internacional do Reino Unido que promove a cooperação com países parceiros em áreas como educação, artes e sociedade, lança uma plataforma online pioneira no mundo, totalmente dedicada a informações sobre o ensino da língua inglesa no Brasil. Batizado de Observatório para o Ensino da Língua Inglesa, o site visa reunir conteúdos, fomentar debates, compartilhar experiências e contribuir para melhorias e mudanças no ensino do idioma. Primeiro do tipo no mundo, o Observatório vai disseminar dados sobre o ensino de inglês no sistema escolar brasileiro, de forma a subsidiar políticas públicas e tomada de decisão baseadas em evidências. Acesse: https://www.inglesnasescolas.org/ Pesquisas sobre o cenário do ensino de inglês no sistema escolar brasileiro, perfil e formação dos professores, dados da rede pública, experiências positivas, boas práticas, recursos de ensino-aprendizagem e novidades do setor são algumas das informações de destaque no Observatório. Além de ser atualizado com publicações e pesquisas de âmbito nacional do British Council e organizações parceiras, o site também vai apresentar conteúdos relevantes analisando a relação do ensino e aprendizagem da língua inglesa com a equidade de gênero, diversidade e inclusão social. O ensino da língua inglesa tornou-se obrigatório a partir dos Anos Finais do Ensino Fundamental com a aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – a obrigatoriedade passou a valer a partir de 2020. A pandemia de Covid-19 trouxe impactos sociais significativos, que repercutem na área da educação – estima-se que cerca de 20 milhões de alunos matriculados no ensino fundamental e superior tiveram suas aulas suspensas durante a quarentena. A alternativa adotada pelas instituições de ensino - Educação a Distância (EAD) - evidenciou a desigualdade entre alunos das redes pública e particular em pontos fundamentais para o aprendizado, como o acesso à Internet. Além disso, há preocupações a respeito da evasão escolar, já que as consequências socioeconômicas da pandemia representam um drástico impacto na renda de famílias vulneráveis. Segundo a pesquisa “Demandas de aprendizagem de inglês no Brasil”, realizada pelo British Council em 2013, apenas 5,1% da população com 16 anos ou mais declarou ter algum conhecimento de inglês. "A aprendizagem do inglês amplia horizontes e potencializa o acesso à educação de qualidade e o desenvolvimento de competências para o mundo do trabalho. Assim, buscamos continuamente realizar e apoiar iniciativas para torná-las melhores e mais inclusivas,” diz Andrew Newton, diretor do British Council no Brasil. Dados e inteligência do setor Para o Observatório, o British Council desenvolverá conteúdo original e oferecerá uma seleção de fontes externas por meio de curadoria, mapeando e compartilhando o conhecimento disponível sobre o ensino e a aprendizagem da língua inglesa. Além disso, reunirá recursos pedagógicos, materiais de referência e metodologias. A plataforma também disponibilizará dados de pesquisas e estudos, tais como os fatores associados ao desempenho e progressão em proficiência inglesa. O objetivo é dividir insights e trazer inspiração para novas pesquisas. O Observatório para o Ensino da Língua Inglesa facilitará o compartilhamento de conhecimento entre pesquisadores, formuladores de políticas e educadores ligados ao ensino do idioma e organizações e influenciadores com trabalhos voltados à promoção da equidade, diversidade e inclusão social no Brasil e internacionalmente, estimulando conversas, debates e discussões de trabalho, e encorajando os públicos interessados a se envolver com o ensino e a aprendizagem da língua inglesa. Skills For Prosperity O Observatório para o Ensino da Língua Inglesa é desenvolvido por meio do programa Skills for Prosperity uma iniciativa global do governo do Reino Unido, em implementação em nove países em desenvolvimento (Brasil, México, Egito, Nigéria, Quênia, África do Sul, Filipinas, Malásia e Indonésia) que visa, a partir das experiências e conhecimento do Reino Unido, apoiar o crescimento econômico inclusivo e impulsionar a redução da pobreza, apoiando a educação e o desenvolvimento de habilidades de grupos em desvantagem. No Brasil, o foco será o de democratizar o acesso a um ensino de inglês de qualidade nas escolas públicas, a partir do olhar do Inglês como Língua Franca (ILF), isto é, como uma perspectiva de comunicação intercultural. Serão desenvolvidas diversas ações, como a produção de materiais didáticos que considerem contextos e realidades regionais e a formação didático pedagógica dos professores, assim como o aprimoramento linguístico. Com duração total de três anos (2020-2023), o Skills For Prosperity pretende beneficiar estudantes do Ensino Fundamental Anos Finais, Ensino Médio e Ensino Técnico e Profissionalizante a partir da aprendizagem do inglês. Serão desenvolvidas atividades diretas, como aprimoramento do ensino de inglês por meio do uso de metodologias e treinamentos exclusivamente desenvolvidos para atender às necessidades de alunos e professores, impactando mais de 4 milhões de estudantes das redes públicas estaduais de cinco estados: Amapá, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná, além de ações de alcance nacional, como o desenvolvimento de documentos referenciais para o ensino de inglês e conteúdo online gratuito para professores de todo o Brasil. O Skills for Prosperity é realizado por um consórcio de quatro organizações sem fins lucrativos: Fundação Lemann, Associação Nova Escola, Instituto Reúna e British Council.

assessoria de imprensa British Council