HOME

NOTÍCIAS

Honda e GM se unem para desenvolver veículos na América do Norte

Honda e GM se unem para desenvolver veículos na América do Norte

Imagem de Patrik Houštecký por Pixabay

Nesta quinta-feira (03/09) a General Motors (GM.N) e a Honda Motor Co anunciaram os planos de união na América do Norte, estreitando o relacionamento entre as companhias. O objetivo é fazer uma série de veículos em um momento onde a indústria automotiva está sob pressão para compartilhar tecnologia e custos, atendendo às demandas por veículos limpos. As empresas disseram que devem compartilhar plataformas de veículos comuns, incluindo sistemas de propulsão eletrificados e de combustão interna. Ainda falta concluir alguns detalhes de contrato para fechar um acordo definitivo, porém, a parceria já representa uma expansão das colaborações existentes entre as duas empresas para veículos elétricos e autônomos, tecnologia de veículos conectados e células de combustível. “No geral, acreditamos que esta aliança ajudaria ambas as empresas a obter economias de custo significativas no desenvolvimento de nossos portfólios de veículos”, disse o presidente da GM, Mark Reuss, em um comunicado. O avanço em direção aos veículos elétricos é inevitável, porém é um processo caro até mesmo para as maiores montadoras. A união da GM e Honda é um marco na indústria automotiva global. Seguindo essa linha, outras empresas estão se unindo. A Fiat Chrysler Automobiles anunciou uma fusão com a francesa PSA no ano passado para criar a maior montadora do mundo, a Stellantis. O negócio deve ser fechado até o final do primeiro trimestre de 2021. A japonesa Toyota Motor Corp também está buscando expandir os laços com pequenas montadoras japonesas. E a Ford Motor Co formou uma aliança com a alemã Volkswagen AG que abrange veículos elétricos e comerciais e tecnologias de direção autônoma. A GM e a Honda já haviam anunciado no inicio do ano que desenvolveriam dois novos veículos elétricos em conjunto para a Honda e tinham planos de expandir a aliança. Também já desenvolveram juntos o projeto de um veículo autônomo, que foi chamado de Cruise Origin, além de colaborarem com células a combustível e baterias. A união vai trazer economias para ambas as empresas, que disseram que as discussões para o desenvolvimento em conjunto começarão imediatamente e que o trabalho de engenharia deve iniciar no começo de 2021.

Reuters