HOME

NOTÍCIAS

Estados Unidos iniciam a vacinação contra Covid-19

Estados Unidos iniciam a vacinação contra Covid-19

Gustavo Fring no Pexels

Os Estados Unidos iniciam a vacinação contra o novo coronavírus com o imunizante desenvolvido pela empresa alemã Biontech e pela multinacional americana Pfizer. O CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) aprovou a vacina da Pfizer/BioNTech e dessa forma, o país se junta à Rússia e ao Reino Unido como as nações que já estão imunizando suas populações. Os lotes iniciais, que reúnem 3 milhões de doses, já começaram a deixar a fábrica da Pfizer em Michigan para ser distribuídos entre os estados do país. As vacinas são transportadas em caixas térmicas contendo gelo seco e capazes de manter -70ºC, temperatura necessária para garantir a eficácia de 95%, conforme resultados da terceira fase de ensaios clínicos. Na 1ª fase, devem ser vacinados os profissionais de saúde e idosos que vivem em casas de repouso, mas a definição dos grupos prioritários cabe aos estados. O imunizante chega num momento em que os Estados Unidos rompem seguidos recordes de internações e mortes por covid-19, com16 milhões de casos e quase 300 mil mortes na pandemia. Além dos EUA, Reino Unido, Canadá, Bahrein, Arábia Saudita e México já aprovaram o uso emergencial da vacina da Biontech e da Pfizer. A Rússia começou a vacinação em 5 de dezembro. Profissionais de saúde, assistentes sociais e professores têm prioridade. Na capital, Moscou, 70 centros especiais foram abertos para imunizar a população. O Reino Unido foi o 1º país a aprovar a vacina da Pfizer/BioNTech e, até o final de 2020, o governo britânico espera ter imunizado 4 milhões de pessoas. Integrantes de grupos de risco e profissionais de saúde estão no topo da fila de vacinação. Duas pessoas tiveram reação alérgica depois de receberem as doses. A Pfizer recomenda que pessoas com histórico de reações alérgicas graves não sejam vacinadas. Já o Canadá também começará o processo de vacinação com o imunizante da Pfizer/BioNTech. O lote com as primeiras 30.000 doses deve chegar em breve ao país. A vacinação será gratuita e administrada primeiro em pessoas de grupos de risco, comunidades indígenas e profissionais da saúde. O governo brasileiro assinou termo de compromisso para compra de 70 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech. O Brasil tem acordo com a AstraZeneca/Oxford para o fornecimento de 100 milhões de doses e a transferência de tecnologia para a produção do imunizante pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). O Ministério da Saúde apresentou o plano nacional de vacinação contra a covid-19, que prevê aplicações em 4 fases, a começar por trabalhadores de saúde, pessoas de 75 anos ou mais, indígenas e aqueles com 60 anos ou mais que estejam em instituições (como lares para idosos). O Estado de São Paulo tem acordo com a farmacêutica chinesa Sinovac. O Instituto Butantan já começou a produzir as primeiras doses do imunizante CoronaVac. Segundo o governador João Doria (PSDB), a vacinação começa em 25 de janeiro. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ainda precisa aprovar a vacina. Os países da UE estão se preparando para iniciar a vacinação em janeiro de 2021. Segundo a diretora-executiva da EMA (Agência Europeia de Medicamento), Emer Cooke, o imunizante da Pfizer/BioNTech deve receber o aval da agência até 29 de dezembro. Em meados de janeiro, a EMA avaliará o pedido da Moderna. O bloco tem contrato para aquisição de doses de 6 vacinas: Moderna, AstraZeneca/Oxford, Sanofi/GSK, Johnson & Johnson, Pfizer/BioNTech e CureVac. Conforme os imunizantes forem sendo aprovados, a UE repassará as doses aos países-membros. Cada um receberá uma quantidade proporcional à sua população. A Argentina fechou acordo com a Rússia para a compra de doses da Sputnik V. Tem ainda contratos com a Pfizer/BioNTech e a AstraZeneca/Oxford. O presidente do país, Alberto Fernández, disse que espera vacinar cerca de 10 milhões de pessoas até fevereiro. O México foi o 1º país da América Latina a aprovar o imunizante da Pfizer/BioNTech. O país ainda não anunciou quando começará a vacinação, mas espera-se que seja ainda em 2020. Com informações de agência, sites e Poder360

Redação