HOME

NOTÍCIAS

Verde Campo registra crescimento de 25% na linha de queijos

Verde Campo registra crescimento de 25% na linha de queijos

Divulgação

A eficiência da atividade leiteira no Brasil, aliada à qualidade, sempre foi um diferencial no mercado de lácteos. Contrariando alguns setores da economia brasileira, que vem sendo penalizados com a pandemia do coronavírus, o setor de lacticínios segue crescendo no país. Segundo um levantamento feito pela consultoria Nielsen, a venda de derivados de leite cresceu 5,3% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. A mudança no comportamento do consumidor impactou positivamente a Verde Campo, primeira empresa do Brasil a assumir o compromisso de produzir apenas lácteos 100% naturais - livres de conservantes, corantes e aromas artificiais. A empresa registrou, entre os meses de março e outubro, crescimento de 25% nas vendas de produtos como queijo, quando comparado com 2019. “Ampliamos nossas vendas nessa linha, se comparado à média de crescimento que vínhamos registrando no início do ano. Observamos um aumento no consumo dos produtos que consideramos de urgência”, explica Carlos Bernardi, gerente nacional de vendas da Verde Campo. No âmbito captação de leite cru resfriado, insumo básico para os produtos derivados, entre julho, agosto e setembro de 2020, também são superiores em 10.5% se comparado ao segundo trimestre deste ano. Produtos como creme de leite, requeijão, leite condensado, leite fermentado e leite UHT (Longa Vida) foram os que mais tiveram saída nos supermercados. Esse dado explica os 6,3 bilhões de litros captados no primeiro trimestre e os 5,76 bilhões de litros do terceiro trimestre de 2020, de acordo com dados do IBGE, o que justifica o aumento do consumo de lácteos no país. Mudança de comportamento na pandemia Segundo levantamento da Embrapa, um dos legados da Covid-19 pode ser o fortalecimento de produtos locais. De acordo com a pesquisa, as mudanças de comportamento do consumidor brasileiro de lácteos durante a pandemia demonstrou que o derivado mais habitual nas compras dos brasileiros é o queijo. Apenas 3% dos participantes da pesquisa não consomem o produto. Na sequência, os consumidores têm o hábito de comprar manteiga, creme de leite, iogurte, leite condensado e leite UHT. A pesquisa que ouviu 5.105 pessoas de todos os estados brasileiros, por meio de redes sociais, aponta que marca, preço e qualidade respondem por mais de 80% das decisões de compra. Expectativa positiva com a volta das academias Carro-chefe da Verde Campo, a linha de saudáveis espera uma recuperação com a volta das atividades nas academias. “Nossa expectativa é manter nossa posição como líder no segmento de iogurte com proteínas e crescer nossos volumes na categoria de forma rentável. O mesmo ocorre com a linha zero Lactose – LacFree – na qual estamos trabalhando para sermos ainda mais competitivos e inovadores, nessa categoria”, diz Carlos.

assessoria de imprensa Verde Campo