HOME

NOTÍCIAS

Health tech se posiciona como único player capaz de realizar gestão da logística e distribuição de vacinas

Health tech se posiciona como único player capaz de realizar gestão da logística e distribuição de vacinas

Reprodução site shieldcompany

A Shield Company, uma health tech brasileira criada em meio à pandemia, se posiciona como único player no mercado capaz de realizar a gestão da logística e distribuição de vacinas da Covid-19 no país. A companhia possui câmaras de congelamento científico que chegam a -80ºC e embalagens termolábeis de alta performance reutilizáveis para transporte. Portanto, são uma alternativa no mercado para o armazenamento e logística do conteúdo da Pfizer. Primeira fazenda de freezers para as vacinas da COVID-19 do Brasil, lançada oficialmente este ano, a Shield nasceu como um projeto de inovação do Grupo DRS. A expertise técnica, de gestão e tecnológica envolvidas em todo o escopo de trabalho da Shield permite que a empresa esteja capacitada para contribuir com a gestão e interlocução de toda a cadeia de atendimento das vacinas - de laboratórios farmacêuticos produtores das vacinas, passando por empresas logísticas, chegando ao Ministério da Saúde e instituições públicas responsáveis pela distribuição junto à população. Exemplo disto é o fornecimento de câmaras de congelamento científico até -80ºC, índice maior do que todas as vacinas que estão sendo testadas até o momento precisam para o armazenamento. A empresa possui uma solução completa e integrada, nos moldes necessários para construção de um plano de distribuição das vacinas. De forma prática, essa gestão sistêmica é suportada por um centro de operações de vacinas e um Hub logístico central, que proverá à cadeia de comando do Ministério até a Presidência da República informações estratégicas e visibilidade para tomada de decisões. A plataforma tem condições de integrar laboratórios farmacêuticos, operadores logísticos, fornecedores de insumos estratégicos (como seringas, gelo seco e refrigeradores). Ela poderá, ainda, se conectar com eventuais sistemas já existentes na rede pública de saúde para gestão de estoques e controles de temperaturas, objetivando contingenciar riscos com a perda de vacinas nas instituições envolvidas no plano de dispensação nas diversas esferas (Federal, Estadual e Municipal).

assessoria de imprensa shieldcompany